Póvoa de Lanhoso, Sociedade

Comemorações do 25 de Abril com 700 participantes – Póvoa de Lanhoso

Sob o lema “Desporto e Liberdade”, o Município da Póvoa de Lanhoso promoveu um conjunto de iniciativas destinado a assinalar os 36 anos do 25 de Abril e em que participaram cerca de 700 pessoas. Proporcionar propostas diferentes e para todas as faixas etárias da população foi um dos objectivos.
Segundo a Vice-Presidente da Câmara Municipal e Vereadora do Desporto, Gabriela Fonseca, “o balanço é bastante positivo. As actividades foram diversificadas, para todos os gostos e idades, desde crianças a adultos e idosos. A participação foi bastante elevada. Toda a gente saiu satisfeita com a organização e julgo que correu tudo bastante bem. O tempo também ajudou”.
As comemorações começaram com a cerimónia do Hastear da Bandeira, nos Paços do Concelho, mas evidenciaram, mais uma vez, uma aposta na componente desportiva, já que, quer durante a manhã quer durante a tarde, espaços públicos como o Pontido, a Avenida 25 de Abril, as Piscinas Municipais Cobertas, os Pavilhões 25 de Abril e da Escola Secundária e o campo da Feira, receberam centenas de atletas em diversas actividades. “O que se pretende é a participação das pessoas, incentivar à prática desportiva, à aquisição de estilos de vida saudáveis, desde jovens, e julgo que isso foi conseguido no âmbito das Comemorações do 25 de Abril, do espírito e valores desta data, como a Liberdade, a tolerância, o respeito pelos outros. Estes encontros permitem pôr esses valores em prática”.
O programa proposto para 2010 englobou novidades, em relação a 2009, tendo permitido a participação em diferentes actividades desportivas (andebol, street-basket, futebol juvenil, ginástica geriátrica, spin bike, pump, jump, pilates, step) e em propostas como o workshop de natação, o torneio da malha ou os rastreios médicos. “De ano para ano, vamos corrigindo algumas coisas, vamos introduzindo algumas novidades, embora dentro deste espírito e de um núcleo estrutural de actividades em que existem bastantes jovens a participar, mas há sempre novidades e para o ano iremos ter outras”, refere a responsável pela organização destas comemorações, Gabriela Fonseca.
Em dia de comemorações, referência ainda para a celebração dos 25 anos da reorganização da Banda de Música dos Bombeiros Voluntários locais. Segundo a responsável camarária também pela pasta da Juventude, aquela Banda, “tem-se mantido activa ao longo destes anos, tem feito uma forte aposta na formação e é actualmente integrada por muitos jovens, o que é bom”. A edil reconhece “o trabalho que fizeram ao longo de décadas e que estão a fazer em prol da cultura e da história das bandas filarmónicas do Concelho”.
Testemunhos:
Daniel Morais, 7 anos, atleta de street-basket
“Os jogos correram bem, marquei dois cestos. Gosto de jogar basquete e de fazer desporto. Já tenho muitos amigos na equipa do Maria da Fonte. O dia de hoje foi bom”.
José Nuno, 7 anos, atleta de futebol
“O jogo correu bem, mas não marquei, porque era um adversário complicado e empatámos zero-zero. Gosto de futebol e gostava de ser futebolista”.
Luísa Sampaio, 14 anos, atleta de andebol
“Estas competições são importantes, porque, para além de jogarmos, estamos a conviver com as outras equipas e é bom. Gosto de andebol e até gostava de fazer carreira”.
Luís Martins, treinador de andebol
“Nesta fase, não me interessam as vitórias; interessa-me que elas joguem e que tenham o prazer do jogo pelo jogo para aprenderem as competências técnicas. Em termos de organização, está a correr bem hoje”.
Paula Azevedo, mãe de um atleta
“Está a correr muito bem. Estas iniciativas são importantes, até para eles terem interesses diferentes da Playstation. É importante também para o desenvolvimento da personalidade e físico de alguns atletas”.
António Fonseca, dirigente de uma entidade parceira da organização
“Isto é essencialmente um convívio, para as crianças e os pais se divertirem. Os resultados não contam. Isto é uma festa e os meninos e os pais também estão a gostar e está a correr tudo bem”.
Cristina Gonçalves, espectadora das actividades
“Acho estas iniciativas óptimas. Deveriam existir com mais regularidade, uma vez por mês, porque as pessoas fazem pouco exercício físico e era uma boa maneira de as incentivar”. 
Valentino da Fonseca, espectador do Torneio da Malha
“Na minha mocidade, também jogava à malha. Estes torneiros são bons para relembrar esses tempos e não deixam acabar as tradições. É bom que tenha jovens a jogar”.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *