Póvoa de Varzim, Sociedade

Acesso ao Ensino Superior: uma sorte que dá muito trabalho – P. Varzim

Uma conferência sobre o acesso ao Ensino Superior em 2010 marcou o arranque da 7ª edição do Fórum de Saídas/Formação e Opções Profissionais (FSFOP), organizado pela autarquia e que termina a 9 de Maio.

Acácio Baptista, Director de Serviços do Acesso ao Ensino Superior do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior foi, uma vez mais, convidado a elucidar os alunos presentes sobre esta nova etapa da sua vida, a frequência do Ensino Superior. Luís Diamantino, Vereador do Pelouro da Educação, que assistiu à conferência na companhia de Andrea Silva, Vereadora da Acção Social e ainda de representantes da Direcção das Escolas Secundárias Rocha Peixoto e Eça de Queirós, sublinhou a oportunidade que todos os alunos tinham de, naquele momento, dissiparem as suas dúvidas acerca do processo de candidaturas e acesso ao Ensino Superior. Dirigiu também palavras de agradecimento a Acácio Baptista, que há mais de dez anos se desloca anualmente à Póvoa de Varzim para falar com os alunos do Ensino Secundário. “Foi uma conferência que Acácio Baptista deu sobre o acesso ao Ensino Superior que serviu de embrião ao Fórum”, referiu o Vereador, que agora se orgulha de representar um evento que reúne largas dezenas de parceiros, desde as escolas do concelho, passando por várias instituições e empresas.
“Esta é a altura apropriada para tirar dúvidas”, frisou Acácio Baptista, tendo em conta que se aproxima o final do ano lectivo e, com, ele, os exames finais e os períodos de candidatura. Definindo o Ensino Superior como nada mais do que “a continuação do Ensino Secundário”, o convidado referiu, na sua intervenção, alguns aspectos que os alunos devem ter em conta no que toca à escolha de cursos e processo de candidatura. “Quando escolhem, devem pensar se querem um curso de curta duração, por exemplo de três anos e que confere o grau de licenciado, ou outro que, por ter um currículo mais alargado, se estende por quatro ou cinco anos. Estes são os mestrados integrados”. Sobre a Rede de Ensino Superior, chamou a atenção para o facto de, quer se frequente um estabelecimento público, quer se frequente um estabelecimento privado, os graus terem exactamente a mesma validade.

 O Concurso Nacional de Acesso ao Ensino Superior começa já em Julho, com a 1ª fase a decorrer de 13 a 27 e a 2ª fase de 2 a 6 de Agosto. São várias as condições que os alunos devem respeitar, sendo que a conclusão do Ensino Secundário é, obviamente uma delas, a que se juntam as classificações das provas de ingresso e a classificação final do Ensino Secundário, que tratadas segundo uma fórmula, devem respeitar a classificação mínima imposta pelos Serviços de Acesso.
Acácio Baptista incentivou ainda os alunos a aderirem à candidatura online, um processo que evita candidaturas inválidas e que, além do mais, é gratuito, ao invés da candidatura em papel, que tem um custo de 10€ e obriga à deslocação a um ponto de candidatura, normalmente nas capitais de distrito. Alunos menores de 18 anos têm que se candidatar na presença dos pais, no caso de a candidatura ser feita em papel. Se for feita online, os candidatos devem imprimir um documento que os encarregados de educação validam nas próprias escolas.
O convidado chamou ainda a atenção para outro aspecto que considerou problemático. Isto porque por vezes, alunos que são colocados na 1ª fase de candidaturas, concorrem à 2ª fase. Mas esta última colocação anula a colocação obtida na 1ª fase, pelo que os alunos devem efectuar matrícula no estabelecimento atribuído na 2ª fase, já que a matrícula da 1ª fase é considerada inválida.   
Pré-requisitos, Regimes Especiais ou acesso para maiores de 23 anos, foram outros assuntos focados por Acácio Baptista que indicou ainda a página de Aceso ao Ensino Superior, em www.dges.mctes.pt, e o e-mail acesso@dges.mctes.pt como instrumentos que os alunos podem usar para esclarecer as suas dúvidas.
Luís Diamantino não deixou de desejar “muita sorte” a todos os alunos presentes mas, como explicou, “a sorte dá trabalho”.
O FSFOP continua hoje. Esta manhã, teve já lugar, na EB 2/3 Cego do Maio, uma demonstração do Grupo Cinotécnico da PSP, seguindo-se, às 15h20, uma mesa redonda, com a participação de profissionais de diferentes sectores, na mesma escola. 
É também a partir de hoje, e até 29 de Abril, que a Casa Escola-Agrícola Campo Verde, em Rates, abre as suas portas de modo a mostrar a todos os interessados toda a actividade que desenvolve.
O Fórum decorre até 9 de Maio, incluindo diversas actividades. Consulte o programa no portal municipal.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *