Educação, Póvoa de Lanhoso, Sociedade

Delegação Timorense conhece realidade educacional na Póvoa de Lanhoso

O Ministro da Educação de Timor, Dr. João Câncio Freitas, e o Director Regional da Educação do Norte, Dr. António Leite, visitaram, no dia 15 de Abril, o Agrupamento de Escolas Professor Gonçalo Sampaio, na Póvoa de Lanhoso. É intenção do governo timorense restabelecer naquele país a aprendizagem da língua portuguesa, que foi interrompida durante 20 anos, durante a ocupação. Para tal, a delegação timorense pretende efectuar parcerias com escolas portuguesas, dada a necessidade de pessoas qualificadas para o ensino em Timor. 
 
Esta delegação pretendeu recolher contributos de boas práticas do ensino português para implementá-las no seu país, pois é na Educação que pretendem fazer uma grande aposta. Como curiosidade, refira-se que uma educadora do Agrupamento Gonçalo Sampaio anseia trabalhar em Timor, país que ainda detém fortes ligações culturais ao nosso país.
 
A Vereadora da Educação da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Dra. Gabriela Fonseca, acompanhou esta visita e referiu que a escolha do Agrupamento Gonçalo Sampaio, de entre toda a região norte, aconteceu “porque o Director Regional entendeu que é um Agrupamento que funciona bem e escolheu-o para mostrar como está estruturado e como funciona um Agrupamento de Escolas em Portugal”. Segundo a edil, responsável pela Educação no Concelho, “foi, naturalmente, um privilégio para a Póvoa de Lanhoso e para o Agrupamento ter sido alvo da escolha por parte do Senhor Director Regional”.
 
A comitiva foi recebida na sede do Agrupamento com uma pequena apresentação de uma dança por um grupo de alunas. Seguiu-se uma sessão de boas vindas e uma apresentação do Agrupamento pela Directora, Dra. Luísa Rodrigues. Aquela responsável mostrou-se muito honrada e sensibilizada pela escolha e pela visita e elucidou sobre a localização, abrangência territorial e composição do Agrupamento, sobre a sua estruturação em termos dos diversos níveis de ensino, sobre quais os principais documentos que sustentam o ensino – Projecto Educativo, Projecto Curricular, Planos de Actividades – e que funcionam em articulação e em consonância com o currículo nacional e com os principais problemas diagnosticados no Agrupamento. A identificação dos principais problemas é importante para a elaboração do seu Projecto Educativo e para a definição das estratégias, tendo em vista a melhoria do sucesso escolar dos alunos. Também foram apresentados os diversos cursos, tendo em conta que há alunos que necessitam de realizar outros percursos alternativos ou adaptações curriculares.
A Directora do Agrupamento referiu ainda que investem muito na Saúde, no Desporto e no Ambiente, como forma de complementar e cativar os alunos e de contribuir para a formação integral dos alunos, da sua integração e  do sucesso educativo dos mesmos, que pretendem ver melhorado.
 
De seguida, a delegação dirigiu-se para a EB1/JI da vila onde foi recebida por um conjunto de crianças do primeiro ciclo, que entoou uma canção original da Professora de Educação Musical das Actividades de Enriquecimento Curricular, numa demonstração da integração daquelas Actividades com o Ensino Regular, considerando-se a Escola como um todo.
Seguidamente, foi visitada a sala de multi-deficiência a funcionar na EB1/JI da Vila Povoense. Esta sala foi criada no presente ano lectivo, atendendo ao número de alunos com deficiências diversas existentes em várias freguesias e, assim, permitir um apoio mais sistemático e diário, que de outra forma, não seria possível. A sala foi equipada através de uma parceria entre a Câmara Municipal e o Agrupamento, sendo que, por exemplo, as próprias instalações sanitárias foram apetrechadas de modo a torná-las mais agradáveis e funcionais.
Na sala de multi-deficiência, a delegação pôde contactar com crianças com deficiências mais ou menos profundas e com os respectivos terapeutas – fisioterapeutas, terapeutas da fala, terapeutas ocupacionais da Íris, uma instituição de Braga indicada pelo Ministério da Educação, e  que se deslocam à Póvoa de Lanhoso para realização de um trabalho mais consistente com vista à melhoria da qualidade de vida destas crianças. Nesta sala, colaboram ainda   professores do ensino especial.
  
Por fim, sublinhe-se que o Ministro da Educação de Timor recebeu um coração em filigrana, característico da Póvoa de Lanhoso, da Directora do Agrupamento. Em troca, a Dra. Luísa Rodrigues recebeu um cachecol típico timorense. A comprovar a ligação antiga entre os dois países, a Directora do Agrupamento recebeu a comitiva com um cachecol emprestado por um amigo de infância, que esteve a viver em Timor, quando o seu pai, médico, cumpriu lá o serviço militar.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *