Sociedade

Tomar celebra o Livro e a Liberdade

As palavras de ordem já estão em vários pontos da cidade, em cartazes inspirados nos murais revolucionários de 1974: “O livro é quem mais ordena”, “Iliteracia nunca mais!”, “Os leitores unidos jamais serão vencidos” ou “Viva o livro! Abaixo a ignorância!”
O objectivo desta acção que juntou a Câmara Municipal de Tomar e as livrarias locais, escolas e outras entidades ligadas ao livro é comemorar as duas datas marcantes do penúltimo fim-de-semana do mês, o Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor, a 23, e o 25 de Abril.
Em destaque vai estar a Feira do Livro, que regressa à Praça da República, com a presença das livrarias Ao Pé das Letras, Entrelivros, Nova e Raiz, além do Livrário, que faz livros artesanais, representando as mais importantes editoras nacionais.
Do vasto programa destaca-se a presença da escritora Inês Pedrosa, actual directora da Casa Fernando Pessoa, e que tem origens tomarenses, para um encontro com os seus leitores na tarde sábado, 24, pelas 17 horas.
A Feira estará disponível numa tenda de grandes dimensões entre os dias 22 e 25 de Abril, das 10 às 23 horas, à excepção do primeiro dia em que abre apenas às 18 e do último em que encerra às 20.
Do vasto programa de animação referência ainda para o espectáculo de poesia “Isso não se diz!” pelo grupo O Contador de Histórias, na noite de abertura; um encontro-debate de autores tomarenses a propósito do tema “A censura ainda existe?” na noite de sexta-feira e um espectáculo de música, dança e outras artes, intitulado “Canções de 74 e de outros anos”, com a Tuna Sabes Cantar da Escola Santa Maria do Olival e amigos, José Morgado e Júlia Quadros, na noite de 24, este no Cine-Teatro Paraíso.
Mas há muito mais: sessões de poesia e de contos para crianças (na sexta-feira na Biblioteca Municipal com Andreia Macedo, sábado e domingo na tenda da Feira com O Contador de Histórias), atelier de cravos em papel dinamizado pela Livraria Nova (na sexta à tarde) e animação musical com a Tuna Sabes Cantar (sábado à tarde) e com Ricardo Rebelo e JP (domingo à tarde).
 
Há poemas no rio, nas árvores, no ar
 
  Uma das actividades mais curiosas será sem dúvida a Poesia Viajante, iniciativa inédita da Escola Básica e Jardim de Infância dos Templários que marcará a cidade no Dia Mundial do Livro, 23 de Abril, e que pretende torná-la na Cidade da Poesia, levando os poemas pelas ruas, em barcos pelo rio, ao cimo das árvores, em aeronaves no céu, uns a serem lidos, outros a serem oferecidos, em papel, à leitura de quem passa.
Um projecto ambicioso mas que ganhou pernas para andar, com os apoios da Câmara, Bombeiros, Centro de Estudos do Património, Clube de Aviação Ultra-Ligeira, Clube Os Aerocalminhas, Serviço Nacional “eTwinning” / DGIDC, Plano Nacional de Leitura e Rede de Bibliotecas Escolares.
Durante este mês vai ser ainda possível ver duas exposições de marcadores de livros feitas por alunos das escolas do concelho: da EB1 Santo António (12 a 16 de Abril na Biblioteca Municipal) e da EB 2,3 Santa Iria (23 a 30 de Abril na Livraria Ao Pé das Letras).
 
O livro é, mesmo, para todos
 
Fazendo jus a todos os princípios já aqui enunciados, a campanha “Um livro faz-me mais rico” veio mesmo a calhar. Iniciativa da Direcção-Geral do Livro e das Bibliotecas integrada no Ano Europeu do Combate à Pobreza e à Exclusão Social promovido pela União Europeia, a iniciativa foi acolhida da melhor forma pela Biblioteca Municipal de Tomar e decorrerá durante os dias da Feira, na Praça da República e na Biblioteca.
Assim, convidam-se todos os cidadãos a participar oferecendo um livro de que tenham gostado muito (pode ser em segunda mão, desde que não esteja deteriorado), que a Biblioteca fará chegar depois a entidades que trabalhem com grupos carenciados, garantindo assim o acesso destes aos melhores livros.
Afinal de contas, foi com estes princípios que se fez o 25 de Abril.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *