Braga, Cultura

“Divino Sospiro” evoca Schumann no Theatro Circo – Braga

Em contexto de bicentenário do nascimento de Robert Schumann (1810-1856), a orquestra “Divino Sospiro”, residente no Centro Cultural de Belém, apresenta esta sexta-feira (9 de Abril, 21h30) no Theatro Circo o concerto “Schumann Divino”.
Com um programa inteiramente dedicado à obra do compositor alemão, a orquestra, que, na circunstância, conta com a participação a solo do violoncelista Paulo Gaio Lima, inicia o concerto com “Abertura” de Manfred, Op. 115 (185) – «leitura explosivamente romântica do poema homónimo de Byron».
Segue-se o “Concerto para Violoncelo e Orquestra em Lá menor, Op. 129 (1850)”, «pintura lancinante da inquietação e variedade de uma natureza em permanente mudança e reequilíbrio».
A “Sinfonia n.º 1 em Si Bemol Maior, Op. 38, de 1841”, conclui o programa interpretado pela orquestra barroca fundada pelo músico italiano Massimo Mazzeo. Intitulada “Primavera”, a obra ecoa bem «a exaltante e impulsiva paixão do compositor por Clara Wieck, com quem casara meses antes».
Fundamental para o desenvolvimento da estética musical ao clamar por uma música livre das restrições da forma clássica e portadora de aspectos mais progressistas, Schumann expôs os seus pontos de vista no “Neue Zeitschrift für Music”, publicação que editou e manteve por mais de dez anos. Incentivou diversos músicos principiantes, em especial Johannes Brahms (1833-1897), um amigo fiel que deu suporte à sua família após a trágica morte, vitimado por doença mental.
Criada a partir da vontade e reunião de músicos portugueses e residentes em Portugal, que, no decorrer dos anos, desenvolveram um trabalho de qualidade artística na área da interpretação da música antiga, seguindo os princípios de fidelidade estilística e estética ao período barroco e clássico, a orquestra “Divino Sospiro” alia as suas numerosas aparições públicas em festivais de todo o mundo a múltiplas acções, de que se destaca a constante actividade de aperfeiçoamento pedagógico.
Com Enrico Onofri como maestro oficial, o agrupamento foi ainda responsável pela gravação ao vivo de um concerto dedicado a W. A. Mozart – “Sinfonia K550” e “Serenada Notturna K239” – para a editora japonesa “Nichion”, projecto que recebeu no Japão o galardão de “bestseller” e esteve várias semanas no topo de vendas das maiores lojas especializadas daquele país.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *