Santa Maria da Feira, Sociedade

Parques empresariais do EDV potenciam o desenvolvimento económico – Sta. Maria da Feira

A rede de parques empresariais do «PortusPark» é «uma mais-valia» para a região do Entre Douro e Vouga (EDV), sublinhou Celestino Portela, o vereador do desenvolvimento económico do Executivo municipal de Santa Maria da Feira.

O autarca considerou que o Centro Empresarial e Tecnológico (CET) de S. João da Madeira e o futuro Feira Park de Santa Maria da Feira vão criar «sinergias» entre as empresas dos dois municípios.

«O concelho de Santa Maria da Feira sempre foi muito empreendedor em termos empresariais, mas está muito dependente de dois sectores – a cortiça e o calçado», salientou Portela.

O vereador referiu que o Feira Park será «uma óptima oportunidade» para a diversificação do tecido produtivo concelhio. E acrescentou-lhe os futuros PEC – Parque Empresarial da Cortiça e PERM – Parque Empresarial de Recuperação de Materiais (Sucatas) como vectores estratégicos de dinamização económica.

Celestino Portela enfatizou que o país e o município não poderão a manter uma estratégia de desenvolvimento baseada nos baixos salários.

«Temos de encontrar outros sectores e, naturalmente, nas novas tecnologias», afirmou.

O Feira Park – Parque de Ciência e Tecnologia de Santa Maria da Feira estará pronto «até ao final do primeiro semestre», informou Portela.

O responsável pelo pelouro do desenvolvimento económico municipal ainda assinalou que respectiva direcção já iniciou contactos no mundo empresarial e do empreendedorismo da região, visando cativar potenciais interessados em aderir ao projecto.

Celestino Portela não quis, porém, especificar possíveis adesões, antes de devidamente concretizadas. Também não adiantou uma data previsível para a inauguração do equipamento.

O Parque de Ciência e Tecnologia de Santa Maria da Feira terá com duas valências: incubadora de empresas e área de acolhimento empresarial.

A edificação do Feira Park representa um investimento de milhão e meio de euros. E as contas finais da construção não deverão registar «grandes desvios», segundo o autarca.

O CET e o Feira Park poderão empregar cerca de 1.000 pessoas dentro de alguns anos, perspectivou Emídio Gomes, o presidente do PortusPark – Rede de Parques de Ciência e Tecnologia e Incubadoras.

«É um pouco especulativo dizer isto, mas estou convencido de que as duas estruturas vão empregar cerca de mil pessoas dentro de cinco anos, declarou à EDV Informação, por alturas do início das obras.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *