Sociedade

Autarcas prometem eliminar barreiras à cidadania plena

Os presidentes de câmara do agrupamento de municípios do Entre Douro e Vouga estão unidos no sentido de proporcionar as condições necessárias à implementação, a nível regional, de um plano de promoção de acessibilidades que possibilitem a fruição de uma plena cidadania por parte das pessoas com mobilidade reduzida.

Os autarcas participaram hoje na sessão de apresentação do Projecto Integrado para a Promoção da Acessibilidade no Entre Douro e Vouga, uma iniciativa da Associação de Municípios de Terras de Santa Maria, realizada em Santa Maria da Feira.

A criação de uma cidade «competitiva e solidária» é o objectivo da autarquia de S. João da Madeira, que inclui naqueles predicados a mobilidade.

«Queremos criar condições que facilitem a igualdade de oportunidades para todos», referiu o presidente do município, Castro Almeida, vincando que o problema das «barreiras» «pode ser resolvido ou pelo menos minorado».

O concelho de Arouca, por seu lado, tem estado nos últimos anos atento à necessidade de incrementar as soluções em prol da mobilidade.

«Depois de 2005, todas as obras executadas tiveram essa preocupação», sublinhou o presidente da autarquia, Artur Neves, que destacou a intervenção prevista para breve no centro histórico da vila de Arouca.

Santa Maria da Feira conta com um provedor para a mobilidade e já pôs técnicos e autarcas a comprovarem na prática os efeitos nefastos das barreiras antes existentes no centro histórico da cidade capital de concelho.

«Na parte histórica, as barreiras foram eliminadas ou estão em fase de eliminação», garantiu Alfredo Henriques, que vincou a necessidade de se conjugarem, neste desafio, «a sensibilidade dos responsáveis e a sensibilização da população em geral».

A Câmara de Vale de Cambra já interveio numa artéria do centro citadino e promete manter essa aposta no futuro próximo.

«Andámos anos a criar cidades para alguns e agora é preciso criar cidades para todos», assinalou o presidente do município, José Bastos. O autarca disse ser preciso «acreditar» que a mudança se imporá.

Oliveira de Azeméis tem pressa em promover mais mobilidade na cidade e no concelho, acreditando que os fundos europeus servirão de «alavanca» para esse objectivo.

«Não temos tempo a perder nos investimentos a fazer para melhorar acessibilidade», afirmou o presidente da Câmara Municipal, Hermínio Loureiro.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *