Santa Maria da Feira, Sociedade

Isvouga é marco fundamental nas vidas de antigos alunos – Sta. Maria da Feira

O Isvouga está a apresentar os «casos de sucesso» de antigos alunos que estão a singrar no mundo do trabalho. Em Abril , realizar-se-á mais um conferência sobre «empreendedorismo» e a sessão final decorrerá no final do ano lectivo.

André Mota, presidente da Associação Académica do Isvouga (AAI) promete para este ano uma Queima das Fitas «como a cidade nunca viu», para celebrar as duas décadas de vida.

O jovem feirense de 22 anos, já licenciado em gestão de empresas pelo Instituto, está no momento a fazer uma pós-graduação, como trabalhador-estudante, e espera, também, poder fazer um mestrado.

«O Isvouga tem investido todos os anos», testemunhou André Mota, realçando a qualidade do ensino ministrado no politécnico de Santa Maria da Feira. Especificou que, por exemplo, «no ano passado, dotaram para o dobro a capacidade da sala de informática».

O presidente da AAI realçou que sem o Isvouga «muita gente da região não teria conseguido tirar um curso superior».

Sílvia Silva foi das primeiras alunas do Isvouga, no ano lectivo inaugural em 1990/91. Licenciada em relações públicas, dirige actualmente o serviço de relações públicas do Centro Hospitalar do Entre Douro e Vouga.

«O Isvouga trouxe a novidade de ter cursos vocacionados para as empresas», vincou. Dos primórdios da instituição lembra «o empenho dos professores» e o tempo em que teve aulas nas instalações da Junta de Freguesia da Feira.

Sílvia Silva sublinhou que, nessa altura inicial, professores e alunos sentiram logo que estavam a fazer parte de um projecto de grande valor para a região.

Graça Casimiro, de Oliveira de Azeméis, encontrou no Isvouga o meio de progredir numa carreira na área da contabilidade e da gestão de empresas. Melhor aluna nas duas licenciaturas tiradas a partir de 200, hoje em dia é a responsável do departamento de contabilidade e gestão da Proleite.

A «permanente disponibilidade dos professores» foi uma das coisas que mais a marcou, na sua passem pelo Instituto Superior de Entre Douro e Vouga.

«O Isvouga é um vector impulsionador da região e, nomeadamente, do mundo empresarial», realçou.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *