Cultura, Póvoa de Varzim

O Medo e a Inveja no Correntes d’Escritas – novos livros apresentados – P. Varzim

Entre duas mesas de debate, o Correntes d’Escritas foi casa para o lançamento de dois novos livros. O País do Medo, de Isaac Rosa, e Inveja – Mal Secreto, de Zuenir Ventura, chegaram à Póvoa pela mão da editora Planeta.
João Tordo apresentou o livro daquele que é considerado “um dos mais promissores romancistas espanhóis”, Isaac Rosa. O País do Medo, contou João tordo, “baseia-se na história de uma família, pai, mãe e filho, tendo com pano de fundo a temática do medo”. Isto porque, após o nascimento do filho, o pai viu-se a braços com o medo “de tudo o que está à sua volta”. Escrito na terceira pessoa, o livro tem, na opinião de João Tordo, um outro elemento muito curioso: a cobardia do protagonista. “O protagonista é um anti-herói, tem medo de tudo, das coisas mais mundanas”.
Explicou Isaac Rosa que com este livro pretendeu fazer um “reflexo do medo, que se converteu num elemento dominante nas sociedades, derivado dos acontecimentos do 11 de Setembro, o que levou a tempos de mudança e de crise”.
Do Brasil, Zuenir Ventura trouxe Inveja – Mal Secreto. José Carlos de Vasconcelos, na apresentação da obra, anunciou que este livro faz parte de uma colecção sobre os pecados mortais. “É sobretudo um livro sobre alguém que está a fazer um livro sobre o pecado da inveja” e, na sua escrita, o autor juntou reportagem, ficção, pesquisa e até o género policial.
“Todo o mundo tem inveja”, contou o autor brasileiro, “é um pecado que já existia no Paraíso. A inveja atinge todos os níveis, todas as classes. E começa por atingir aqueles que nos estão próximos”. Sobre a estrutura da obra, a utilização de vários géneros e até o facto de escrever sobre alguém que está a escrever sobre a inveja prendeu-se com o facto de Zuenir Ventura não ter encontrado uma personagem para o seu livro. Explicou ele que a inveja é de facto um mal secreto, que poucos assumem. “Como ia inventar uma personagem se não encontrava nenhum invejoso?”, questionou, avançando ainda que está já preparar uma nova obra, desta feita sobre a sua família.
Palco do lançamento de mais de 20 livros este ano, o Correntes d’Escritas alberga também uma Feira do Livro onde todas estas novidades podem ser adquiridas. Fica na Casa da Juventude e vale bem a pena a visita.
Para saber quais os próximos lançamentos, visite o programa do Encontro de Escritores de Expressão Ibérica no portal municipal.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *