Arouca, Sociedade

Sistema multimunicipal garante saneamento a 70 por cento da população – Arouca

A inclusão de Arouca num sistema multimunicipal de saneamento «é decisiva» para a resolução de «um problema premente», afirmou o presidente da autarquia, José Artur Neves.

Arouca – juntamente com Baião, Castelo de Paiva, Cinfães, Maia, Paredes, Penafiel e Vila Nova de Gaia – integrou a «SIMDOURO» (Saneamento do Grande Porto, SA), uma sociedade intermunicipal criada em Outubro do passado ano.

Em declarações à EDV Informação, o autarca disse que o concelho para cumprir o Plano Estratégico de Abastecimento de Água, Saneamento e Águas Residuais (PEAASAR) «teria de dar este passo».

A «SIMDOURO» prevê intervir no município em várias infra-estruturas, num investimento que rondará os três milhões de euros, tendo em vista a ampliação do serviço a cerca de 70 por cento da população.

Entre os trabalhos a efectuar, destacam-se a intervenção em dez subsistemas de drenagem e tratamento de águas residuais, a construção de cinco estações de tratamento de águas residuais (ETAR) compactas e a colocação de 12 quilómetros de interceptores.

«Para atingirmos os níveis de atendimento estabelecidos no PEAASAR só mesmo com a integração num sistema multimunicipal», frisou José Artur Neves.

«Desde o primeiro momento que procurámos este modelo que, com uma economia de escala, viabilizasse os diferentes projectos que temos para o município ao nível do saneamento», explicou.

O concelho de Arouca tem uma cobertura de saneamento na ordem dos 40 por cento, beneficiando actualmente cerca de 15 mil habitantes.

«Queremos inverter este quadro e melhorar os números actuais. Com os projectos e planos de investimentos que temos em curso, estamos certos de que a curto prazo teremos condições de atingir as metas do PEAASAR», acrescentou o presidente da autarquia.

O PEAASAR (2007-2013) foi aprovado por despacho do Ministro do Ambiente, do Ordenamento do Território e do Desenvolvimento Regional, em 28 de Dezembro de 2006.

De acordo com o PEAASAR, o objectivo é que 90 por cento da população de cada concelho do país beneficie destes serviços até 2013.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *