Economia, S. João da Madeira

«Fábrica dos Sentidos» alia a cozinha à cultura – S. João da Madeira

A «Fábrica dos Sentidos» quer conquistar mais clientes para os méritos da sua cozinha variada. O restaurante do Museu da Chapelaria leva um ano de vida e mantém aposta na qualidade.

«A nossa especialidade é cozinhar bem», sublinhou Vítor Cabral, um dos quatro proprietários, realçando que a casa – na verdade «não é um restaurante, mas sim uma sala de jantar» – dispõe dos trunfos inerentes a «uma cozinha multifacetada».

O empresário enumerou as mais-valias da sua «Fábrica dos Sentidos»: «temos pratos africanos, temos cozinha tradicional portuguesa e também temos cozinha de autor».

A equipa que confecciona os pratos inclui um «chef» residente e coordenador, acompanhado por mais dois cozinheiros – «uma pessoa de escola, que trabalhou em hotéis, para a cozinha de autor, e uma senhora para a cozinha tradicional».

Vítor Cabral explicou que «pegou» no restaurante por via de um concurso.

«Vim ver o espaço e achei que encaixava bem na ideia que tinha para um espaço deste», recordou. Acrescentou ter, então, referenciado «uma oportunidade de fazer qualquer coisa diferente».

«O espaço é muito diferente: é um espaço de cultura», salientou, expressando a filosofia da casa: «o nosso conceito não é fazer comida; o que fazemos aqui é cultura».

O aspecto visual dos pratos e os aromas presentes são parte importante do encanto da cozinha da «Fábrica dos Sentidos». Também assinalou que, por lá, se pode beber bom vinho «a um preço justo». E de seis em seis meses, a carta é mudada.

Vítor Cabral realçou, igualmente, o serviço prestado ao cliente: «pede o prato que quiser e, ao chegar à mesa, se não corresponder às expectativas vai para trás e fazemos-lhe outra coisa».

A Fábrica dos Sentidos tem dois espaços, podendo acomodar, ao mesmo tempo, cerca de 60 pessoas. Está preparada para organizar diversos tipos de festa, inclusive disponibilizando as novas tecnologias da comunicação.

A dinamização da cafetaria é a próxima prioridade, tendo Cabral referido que dispõe de «uma carta de cafetaria muito alargada». Destacou, nomeadamente, a promoção «pequeno-almoço por um euro» – café e pão com manteiga ou bolo». Ainda realçou a qualidade dos bolos e compotas.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *