Economia, Oliveira de Azeméis

Cefamol promove competências em gestão e resolução de reclamações – Oliveira de Azeméis

A Cefamol (Associação Nacional da Indústria de Moldes) quer contribuir para o desenvolvimento de competências no âmbito da gestão e resolução de reclamações, dinamizando uma acção de formação sobre o tema, anunciou fonte da instituição.

A formação – a realizar dia 11 de Novembro nas instalações da Cefamol, na Marinha Grande – direcciona-se fundamentalmente às chefias intermédias e directas de empresas de moldes e plásticos com responsabilidades nas áreas da qualidade e comercial.

«Adquirir e desenvolver competências no âmbito da gestão e resolução de reclamações, perspectivando a sua importância no desempenho das empresas» é o principal objectivo da iniciativa, que decorrerá ao longo de oito horas.

«O tratamento das reclamações, se abordado pelas empresas de um modo sério, e integrado na sua própria cultura, pode constituir uma ferramenta de gestão importante ao nível da imagem corporativa e da fidelização de clientes. Gerir uma reclamação é uma oportunidade real de melhoria, um momento único para o fortalecimento da relação com os clientes», refere a Cefamol.

Com sede na Marinha Grande, a Cefamol é uma instituição sem fins lucrativos e de utilidade pública.

A instituição foi fundada em 1969 por iniciativa de sete empresas fabricantes de moldes para a indústria de plásticos, contando presentemente com 125 associados.

A indústria nacional de moldes emprega cerca de 7.500 trabalhadores, num universo de 300 empresas, divididas entre os pólos de Marinha Grande e de Oliveira de Azeméis.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

1 comentário

  1. A falta do comprimento da lei nas catracas preferencias no metro CORINTHIAS ITAQUERA. Essas catracas são utilizadas por pessoas que não necessitam desse beneficio que é obrigatorio, por lei, para facilitar a passagem de quem tem determinada necessidades como eu que sou gestante. Dessa forma relato esse fato ocorrido no dia 22/02/2010 e, ninguem me deu uma resposta quando pedi para falar com o responsável , que segunda a informação, trata-se do Joilson, que após 1 hora de espera ele não pareceu e, eu como estava indo para meu serviço não pude aguardar. Mas deixo aqui a minha indignação já que haviam senhoras aguardando uma vila enorme que estava sendo ultilizada por pessoas não portadoras de alguma necessidade e não eram barrados pelos fiscais que ficam na catraca e apenas dizem : ” é o povo não tem educação mesmo, não posso fazer nada ” será que não pode mesmo ??? ou para que estão ali ? não é para fiscalizar ? Ficaria muito contente se eu como uma simples cidadão conseguisse ter alguma voz diante de tal barbaridade e as coisas melhorassem para todos. obrigada! Ana Cardoso

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *