Arouca, Espinho, Gondomar, Maia, Matosinhos, Oliveira de Azeméis, Porto, Póvoa de Varzim, S. João da Madeira, Santa Maria da Feira, Santo Tirso, Sociedade, Trofa, Vale de Cambra, Valongo, Vila do Conde

Empresas projectam novidades nas “paredes” da CONCRETA

A Recer olha para os espaços cada vez mais racionalizados e apostará num minimalismo que, para tudo parecer maior e mais leve, conjugará volumetrias, grafismos (actuais ou revivalistas), cores, transparências e luz. A Cinca, por sua vez, optará pela nova tecnologia de impressão digital para os porcelanatos e os produtos cerâmicos destonalizados, num apelo naturalista, sem esquecer que a estética industrial também exige produtos resistentes e duráveis. A Sanitana, por seu turno, exibirá modernidade e as últimas tendências nas louças sanitárias. Já a CIN abrirá uma paleta composta de soluções inovadoras para a área da reabilitação urbana, que considera de grande potencial de crescimento para os anos vindouros, mas não esquecerá – longe disso – a alta decoração. Numa espécie de “close up”, a Secil demonstrará que a inovação não corre apenas naquilo que se vê e toca (como os novos pavimentos decorativos, personalizáveis ao nível da textura e da cor), mas também nas entranhas do reboco projectado com a «revolucionária» solução de isolamento térmico “Isodur”… E, depois, há ainda a Valadares, a Efacec Renováveis, a Amorim Isolamentos, a Efapel, e muitos outros. Com as últimas novidades e tendências nos respectivos segmentos de actividade.

     De 20 a 24 próximos, a CONCRETA – 24.ª Feira Internacional de Construção e Obras Públicas volta a ser o ringue de eleição da fileira, por onde passam os pesos-pesados do mercado e as jovens promessas empresariais, numa lista que volta a distribuir expositores pelos seis pavilhões da Feira Internacional do Porto (todos os pormenores em www.concreta.exponor.pt). 

Mais de 100 compradores internacionais

de empresas líderes e mercados emergentes 

     Ao longo de 23 edições, o evento habituou o sector a ter nele um palco de negócios sem fronteiras. Voltará a sê-lo em 2009, também com recorte internacional.

     A exemplo de outros certames da Feira Internacional do Porto, a CONCRETA tem em desenvolvimento o “EXPONOR International Buyers”, que durante cinco dias trará à exposição mais de 100 compradores e/ou decisores internacionais de empresas líderes e, paralelamente, de mercados emergentes, especialmente convidados para o efeito. Rússia, China, Japão, Turquia, Cazaquistão, Letónia, Bulgária, Polónia, Líbia, Tunísia, Argélia, Angola, Moçambique, Dinamarca, Uruguai e Cabo Verde, entre eles.

     Depois de ter recentemente formalizado com a Sociedade das Feiras Internacionais de Tunes um protocolo de cooperação que permitirá à Associação Empresarial de Portugal (AEP) poder vir a organizar feiras especializadas na Tunísia já em 2010, a EXPONOR aprofunda no próximo dia 20 ainda mais as oportunidades de negócio que existem no norte de África para as empresas portuguesas da fileira da construção.

     Numa organização da Câmara de Comércio e Indústria Árabe-portuguesa integrada no programa de manifestações paralelas da CONCRETA, o Centro de Congressos recebe no dia 20, no Auditório B4, a conferência «Magrebe: oportunidades de construção, obras públicas e infraestruturas».

      Os negócios são cada vez mais globais e a 24.ª Feira Internacional de Construção e Obras Públicas reflecte-o, pois que, em apenas meia dúzia de passos, permite ir de África ao continente americano, graças ao seminário que, no Auditório A4 (também no dia 20, das 10,30 às 13,15 horas), abordará, por sua vez, as possibilidades que o tecido empresarial luso tem no México, com o Plano de Infraestruturas 2007-2012, numa dinamização da Câmara de Comércio e Indústria Luso-mexicana.

     A secção lisboeta do Flanders Investment & Trade, da Embaixada da Bélgica, por seu turno, promove noutros tantos dias quatro encontros empresariais em plena CONCRETA. 

28 mil milhões de euros em congresso… 

     A reabilitação urbana (um nicho de negócio com um potencial de 28 mil milhões de euros em Portugal) é o mote da CONCRETA deste ano e terá suporte num grande congresso, intitulado «Reabilitar. Habitar». A iniciativa juntará na tribuna durante dois dias (21 e 22, das 9,30 às 18 horas, no Auditório A1 do Centro de Congressos da EXPONOR) algumas dos protagonistas de vários segmentos e, perante meio milhar de interessados, aprofundará as particularidades deste promissor efluente da construção que é a renovação do edificado.

     Da comissão organizadora do acontecimento fazem parte a EXPONOR, a AEP, a Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas (AICCOPN), a Associação Portuguesa dos Comerciantes de Materiais de Construção (APCMC), a Ordem dos Engenheiros (OE), a Ordem dos Arquitectos (OA) e o gabinete Cannatà & Fernandes Arquitectos, que conseguiram trazer para o debate nomes como Kazuyo Sejima e Ryue Nishizawa, dupla do conhecido gabinete japonês de arquitectura SANAA (responsável nos últimos anos por vários projectos internacionais emblemáticos e autor do Edifício Multifuncional da Fundação de Serralves, que será construído na Senhora da Hora, com um custo estimado de 25 milhões de euros e conclusão prevista para 2012).

     Juntar-se-ão a eles, numa reflexão multifacetada que abordará todas as particularidades actuais e futuras da reabilitação urbana, João Belo Rodeia (presidente da Ordem dos Arquitectos), Fernando Santo (bastonário da Ordem dos Engenheiros), Elísio Summavielle (director do IGESPAR – Instituto de Gestão do Património Arquitectónico), Teresa Novais (presidente do Conselho Directivo da Secção Regional Norte da Ordem dos Arquitectos), Hipólito de Sousa (presidente do Conselho Nacional do Colégio de Engenharia Civil da Ordem dos Engenheiros), Andrea Tinagli (do Banco Europeu de Investimento), Poças Martins (professor da FEUP), João Ferrão (professor universitário e investigador), Arlindo Marques Cunha (presidente da Porto Vivo – Sociedade de Reabilitação Urbana da Baixa Portuense), Reis Campos (presidente da AICCOPN), Jorge de Brito (Instituto Superior Técnico), Gerardo Saraiva de Menezes (presidente do Conselho Directivo da Região Norte da Ordem dos Engenheiros), António Perez Babo (Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto), José Pinheiro Pinto (Faculdade de Economia da Universidade do Porto), Paulo Nunes de Almeida (vice-presidente da AEP – Associação Empresarial de Portugal) e muitos outros.

     Mas as manifestações complementares à feira propriamente dita não se ficam pelo «Reabilitar. Habitar» e chegam quase às três dezenas (os programas detalhados estão acessíveis em www.concreta.exponor.pt)  

SÍNTESE:

CONCRETA 2009

24.ª  Feira Internacional de Construção e Obras Públicas

Data: 20 – 24 de Outubro de 2009

Horário: das 10:00 às 20:00, todos os dias

Organização e local: EXPONOR – Feira Internacional do Porto (Matosinhos)

Periodicidade: bienal

Perfil do visitante: profissional e público (no sábado); entrada interdita

a menores de 14 anos

N.º  médio de expositores por edição (nos últimos cinco anos): 768

Média de visitas por edição (nos últimos cinco anos): 75.799

Visitas internacionais na última edição: 1.219 profissionais, oriundas de 16 países

Em exposição:

Arquitectura de interiores

Cerâmica de pavimentos, revestimentos, sanitários e torneiras

Rochas ornamentais, pedra e vidro

Cozinha e banho

Iluminação, electricidade, domótica, robótica, novas tecnologias e informática

Cimentos, argamassas, pré-fabricação e construção industrializada

Carpintaria em madeira, PVC e metálica

Madeiras e derivados

Isolamento, impermeabilização e outros produtos para acabamentos

Tintas e vernizes

Restauro, requalificação e reabilitação

Climatização, tubos e acessórios

Máquinas, ferramentas e equipamentos para a construção e obras públicas

Organismos oficiais e serviços

Outros

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *