S. João da Madeira, Tecnologia

Sanjonet vai potenciar a competitividade – S. João da Madeira

A Rede de Inovação e Competitividade de S. João da Madeira – «Sanjonet» – vai criar uma «cidade empreendedora, ao serviço do conhecimento e da inovação tecnológica». Representará um investimento de 4,1 milhões de euros.

O FEDER (Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional), através do ON – programa opreacional da região norte, atribuiu 2,6 milhões de euros a este projecto.

O protocolo de financiamento da Sanjonet foi rubricado recentemente entre o Município, a Sanjotec – Associação Científica e Tecnológica, a Apiccaps – Associação Portuguesa da Indústria do Calçado e Afins, e o Clube dos Empresários de S. João da Madeira.

A Rede incluirá, ainda, outros parceiros. A saber: Centro Tecnológico do Calçado, Uuniversidade de Aveiro (UA), Associação Cultural «Alão de Morais» e as três Escolas Secundárias de S. João da Madeira – «Serafim Leite», «Oliveira Júnior» e «João da Silva Correia».

«É uma grande oportunidade para S. João da Madeira», sublinhou Castro Almeida.

O presidente da Câmara considerou que a Sanjonet irá dinamizar o desenvolvimento local, nomeadamente através da troca de conhecimentos e experiências entre os agentes envolvidos no projecto.

«As universidades estão cheias de sabedoria e têm as soluções para os problemas das empresas», enfatizou o autarca.

Castro Almeida explicou que, com a estruturação da Rede de Inovação e Competitividade, as empresas sanjaonenses poderão «falar directamente com a UA».

A valorização das complementaridades existentes entre os diversos agentes e a partilha de recursos e conhecimento são alguns dos «objectivos estratégicos» da Sanjonet.

O rol inclui, também, a atracção de recursos humanos «altamente qualificados» e a criação de «comunidades de conhecimento»; o desenvolvimento de uma rede local de serviços tecnológicos e de gestão; a capacidade de gerar «projectos empresariais de elevada componente tecnológica»; a promoção da cooperação entre instituições de ensino, empresas e população; e, no geral, o «desenvolvimento da qualidade de vida na malha urbana».

A Rede vai desenvolver um conjunto de acções, visando cumprir aqueles obvjectivos. Entre elas, destaque-se a criação do «Living Lab S. João», um laboratório vivo, que pretende «impulsionar o desenvolvimento» dos vários sectores económicos do concelho, com enfoque especial nos de base tecnológica.

A dinamização do cluster do calçado também faz parte da lista de projectos, assim como o que diz respeito à valorização do edifício da Torre da Oliva, comprado pela Autarquia, e que virá a contar com espaços para a formação e com um «Espaço do Calçado», de vertente museológica.

A criação de centros de competência para as áreas emergentes – design, moldes, robótica e automação industrial, entre outros – e a «edificação» da Academia de Empreendedorismo e Inovação também serão uma realidade. Assim como a estruturação de uma Agência para a Promoção e Captação de Investimento. E será reforçada a cobertura da rede e o acesso à Internet em toda a cidade.

A aposta na Sanjonet também garante aos empresários dos sectores do comércio, incluindo a restauração, e dos serviços a possibilidade de recorrerem à «Iniciativa MERCA» do ON, que lhes proporcionará «a oportunidade de financiarem os respectivos projectos de modernização».

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *