Arouca, Desporto, Espinho, Gondomar, Maia, Matosinhos, Oliveira de Azeméis, Porto, Póvoa de Varzim, S. João da Madeira, Santa Maria da Feira, Santo Tirso, Trofa, Vale de Cambra, Valongo, Vila do Conde, Vila Nova de Gaia

Jimenez triunfa no Alto da Sra. da Assunção, Ribeiro defende Amarela e ganha 5 segundos

A festa voltou a fazer-se em tons espanhóis na sexta etapa da 71ª Volta a Portugal Lagos Sports com Eladio Jimenez a triunfar na tirada que ligou Barcelos a Santo Tirso. No Monte Córdoba, também conhecido por Alto de Nossa Senhora da Assunção, em Sto. Tirso, o corredor de Salamanca ao serviço do CC Loulé-Louletano foi o primeiro a concluir os 174,6 quilómetros da jornada, sendo acompanhado nos restantes lugares do pódio pelos compatriotas Ruben Plaza (Liberty Seguros) e David Blanco (Palmeiras Resort/Prio/Tavira). O líder, Nuno Ribeiro, terminou na quinta posição e manteve a “Camisola Amarela Lagos Sports”, ganhando ainda cinco segundos em relação ao mais directo perseguidor João Cabreira. 

Com uma fuga de 11 corredores a dominar os instantes iniciais da etapa, Bruno Castanheira (Barbot-Siper) e Leopold Konig (PSK) chamaram a si o protagonismo com um ataque emparelhado ao km 124. No entanto, o pelotão liderado pela Liberty Seguros e Lampre trabalhou da melhor forma e anulou a iniciativa a 12 quilómetros da meta – começando aí a desenhar-se o final da etapa. Bruno Pires (Barbot-Siper) atacou em primeiro lugar, mas viria a ser Eladio Jimenez o mais forte nos últimos três quilómetros. “A subida foi muito rápida, quando faltavam três quilómetros começaram os ataques e eu aproveitei uma paragem no ritmo para atacar. Consegui ganhar alguns metros e limitei-me a gerir até final para conseguir o triunfo revelou o espanhol que dedicou a vitória à filha de apenas três meses fazendo, no momento de cortar a meta, um gesto significativo do embalo da criança com os braços. 

Envergando a “Camisola Amarela Lagos Sports”, Nuno Ribeiro esteve também em destaque nos instantes finais da jornada, defendendo-se de constantes ataques dos mais diversos candidatos à vitória final, incluindo do seu companheiro de equipa Ruben Plaza. Todavia, Ribeiro, vencedor da Volta a Portugal em 2003, mostrou novamente estar em grande forma. “Foi mais um dia bem complicado, mas a equipa esteve bem, sempre a controlar com um excelente trabalho que gostaria de agradecer. Da minha parte, fiz tudo para defender o melhor possível a liderança e é isso que vou continuar a tentar fazer nos próximos dias”. Relativamente ao “ataque” de Plaza, o corredor de Sobrado constatou “o bom momento” do colega mas deixou o “recado” lembrando que “as contas fazem-se no final”. 

Terminando na quinta posição da etapa – numa subida de seis quilómetros que havia conquistado em 2008 -, Nuno Ribeiro dilatou ligeiramente a vantagem para os mais directos perseguidores na geral individual, estando nesta altura o segundo classificado, João Cabreira (CC Loulé-Louletano), a 7 segundos e o terceiro David Bernabeu (Barbot-Siper) a 57 segundos. Eladio Jimenez subiu ao oitavo posto (1m53) e David Blanco (vencedor da prova em 2008) ascendeu ao sexto lugar (1m47s). 

7ª ETAPA: PÓVOA DE VARZIM – S. JOÃO DA MADEIRA

A Póvoa de Varzim, à semelhança do que aconteceu o ano passado, será o ponto de partida da sétima etapa (13h00). O destino do pelotão será S. João da Madeira (17h00) numa tirada de 161,8KM com temperaturas que deverão rondar os 40ºC. As chegadas discutidas ao sprint na capital do calçado costumam proporcionar momentos desportivos inesquecíveis a uma verdadeira multidão entusiasmada pela passagem dos “bravos do pelotão”. 

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *