Arouca, Desporto, Espinho, Gondomar, Maia, Matosinhos, Oliveira de Azeméis, Porto, Póvoa de Varzim, S. João da Madeira, Santa Maria da Feira, Santo Tirso, Trofa, Vale de Cambra, Valongo, Vila do Conde, Vila Nova de Gaia

Cândido Barbosa vence e recupera a amarela

Num final de etapa empolgante, que fez vibrar de emoção todos quantos assistiram na cidade da Guarda à passagem da 71ª Volta a Portugal Lagos Sports, Cândido Barbosa (Palmeiras Resort/Prio) bateu ao sprint o italiano Mauro Santambrogio (Lampre) e reconquistou a liderança. Com mais este triunfo o “foguete” de Rebordosa atingiu a marca histórica das 24 vitórias em etapas da Volta a Portugal em bicicleta (igualando o registo de Joaquim Agostinho) tornando-se no segundo homem mais vitorioso de sempre nesta prova. Alves Barbosa, actualmente com 77 anos, mantém ainda o recorde de 34 vitórias. “Um dos meus objectivos principais é vencer algumas etapas da Volta a Portugal e duas já estão do lado de cá. É importante para a minha carreira conseguir chegar ao número de vitórias que chegou, aquele que é provavelmente, o mais conceituado ciclista português de todos os tempos. É para mim muito importante e sinto-me satisfeito por isso”, declarou Cândido Barbosa na conferência de imprensa após a cerimónia de pódio.

A segunda etapa da Volta partiu, esta sexta-feira, de Idanha-a-Nova e foi concluída na cidade mais alta de Portugal após 175 Km. O dia ficou marcado por uma longa fuga protagonizada por Eloy Teruel (Contentpolis) e Pedro Lopes (CC Loulé/Louletano). Os dois chegaram a atingir a vantagem máxima de 11 minutos ao Km 100, situação que permitia a Pedro Lopes, 14º lugar na geral, a 17 segundos do camisola amarela, tornar-se virtual líder da Volta.

A faltar 55 Km para a meta a diferença mantinha-se nos dez minutos, altura em que, finalmente, o pelotão, sob o comando do Boavista e da Barbot, com a colaboração da Liberty, começava a dar sinais de reagir, transformando-se numa extensa fila indiana, ora comandada pelos axadrezados, ora pela equipa das tintas. Anunciava-se assim o fim da aventura lançada por Teruel, a que se juntou Pedro Lopes, o qual pelo caminho venceu as três metas volantes do dia. Anulada a fuga e alguns ataques que se seguiram, o final da tirada foi espectacular e emocionante, com a equipa de Tavira a preparar o terreno para a vitória de Cândido Barbosa Manuel Cardoso, o homem da “amarela” até à cidade da Guarda não pôde defender a liderança devido a uma queda já muito próximo da meta.

Na dança das camisolas Hélder Oliveira (Barbot/Siper) trocou de posições com Oleg Chuzhda (Contentpolis) e lidera a Montanha com apenas um ponto de vantagem. Nélson Rocha (Madeinox/Boavista) “roubou” a camisola Laranja da Juventude ao colega de equipa Tiago Machado.

Etapa de 164,3 Km vai abordar a “Estrela” pela primeira vez

Depois da chegada à  cidade mais alta de Portugal, a Serra da Estrela fica a um passo. O percurso da Volta não mais dará tréguas aos que ambicionam inscrever o nome no mais cobiçado troféu do ciclismo português. A terceira etapa, este sábado, sairá do Fundão às 12h45 e vai atravessar o maciço central da serra. O pelotão terá de enfrentar a subida às Penhas Douradas, classificada como 1ª categoria, antes da meta, também em alto, instalada em Gouveia, onde aguarda a chegada da corrida cerca das 17h15.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *