Arouca, Desporto, Espinho, Gondomar, Maia, Matosinhos, Oliveira de Azeméis, Porto, Póvoa de Varzim, S. João da Madeira, Santa Maria da Feira, Santo Tirso, Trofa, Vale de Cambra, Valongo, Vila do Conde, Vila Nova de Gaia

Marco Cunha e a sua equipa “Aluvia” foram os vencedores finais

Marco Cunha e a sua equipa Aluvia-Valongo receberam este domingo, em Oliveira do Bairro, a consagração pelas vitórias, individual e colectiva, conquistadas nesta 17ª Volta a Portugal do Futuro. Carlos Baltazar, também da equipa de Valongo, dirigida por José Barros, venceu ao sprint a última etapa, de 128,7 km, iniciada em Arouca e concluída à média de 41 Km/h. 

Na frente da classificação final manteve-se o trio da equipa de Valongo, com Marco Cunha, vencedor absoluto, seguido nos lugares secundários pelos seus colegas Carlos Baltazar e Bruno Silva. Marco Cunha, que venceu três etapas seguidas, foi também o primeiro na classificação por pontos, enquanto na montanha triunfou Amaro Antunes (C. Agrícola) e na Juventude venceu o tavirense João Pereira. 

Os corredores das equipas de Sta. Mª da Feira, dirigida por Manuel Correia, e do Crédito Agrícola, comandada por Fernando Mota, movimentaram a etapa com os ataques desde os primeiros quilómetros. Logo aos 11,5Km o feirense José Brandão venceu a primeira contagem de montanha do dia no alto de Chão de Ave, e 25Km mais à frente foi a vez de Diogo Silva (C.A.) triunfar no Alto de Decide, ambas as subidas de 4ª categoria. 

Feita a junção do pelotão ao Km40, os ciclistas da Crédito Agrícola continuaram irrequietos com Amaro Antunes a ensaiar uma fuga, a que os feirenses responderam de pronto através de José Brandão e José Gonçalves. No entanto Amaro Antunes manteve uma vantagem suficiente para vencer destacado a subida de Talhadas, também de 4ª categoria. 

O pelotão agitou-se a caminho de A-dos-Ferreiros e ao Km60 juntaram-se ao fugitivo Amaro Antunes um grupo de seis elementos, três dos quais da equipa de santa Maria da Feira, Joni Brandão, João Costa e Marco Coelho, acompanhados por Guilherme Lourenço (Mortágua), Jordi Simon (Andorra) e José Vega (Lizarte), cabendo a este a vitória na meta volante de Bolfiar. Mas o pelotão estava por perto e a tentativa foi anulada a caminho da meta volante de Sangalhos, onde triunfou o tavirense João Pereira. Depois de duas passagens na meta final, Carlos Baltazar (Aluvia/Valongo) vencia ao sprint a derradeira etapa da Volta a Portugal do Futuro. 

71ª  Volta a Portugal Lagos Sports 

O mais importante acontecimento velocipédico nacional vai para a estrada a 5 de Agosto para cativar de novo o país e movimentar uma fantástica legião de fãs, que à beira da estrada ou, em directo pela televisão, vai seguir caprichosamente a marcha do pelotão nas tardes de calor que se aguardam com emoção e expectativa. 

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *