Cultura, Póvoa de Varzim, Sociedade

Exposição de Solidariedade: milhares de visitantes ajudaram a ajudar – P. Varzim

Milhares de pessoas visitaram, este fim-de-semana, a Exposição de Solidariedade do concelho da Póvoa de Varzim.
No Largo do Passeio Alegre, 24 instituições particulares de Solidariedade Social, distribuídas por stands, davam a conhecer o seu trabalho, aproveitando para recolher fundos através da venda dos mais variados produtos, como artesanato, iguarias gastronómicas e até produtos hortícolas, estes muito procurados pelos visitantes. As rifas, jogo presente em quase todos os stands, prometiam sempre prémio e foram, por isso, um dos jogos mais populares entre os visitantes. Porta-chaves, bijutaria, utensílios de cozinha, desenhos, livros, objectos de decoração, de tudo havia numa exposição que convidava, sobretudo, ao contributo por uma boa causa.
Apesar de aberta desde sexta-feira, 17 de Julho, foi no sábado que José Macedo Vieira, Presidente da Câmara Municipal, inaugurou a Exposição de Solidariedade com sincero orgulho “uma vez que há um grande empenho das instituições que aqui mostram o trabalho que têm vindo a desenvolver”. De facto, o autarca reconheceu que, se não fosse a dedicação e voluntariado por parte destas instituições, seria extremamente difícil, para os órgãos de poder, dar resposta às problemáticas sociais.
 
Elogiando o trabalho que várias instituições têm desenvolvido a nível do ensino pré-escolar, Macedo Vieira deu particular ênfase às que contribuem para o bem-estar dos idosos. “O aumento do número de idosos e a diminuição do número de filhos por casal vai levar a um grave problema de gestão nos países. Calcula-se que dentro de 30 a 40 anos Portugal terá menos 2 milhões de habitantes, mas o número de idosos vai duplicar. Isto vai levar a que surjam problemas com os custos de saúde, com os pagamentos das reformas e até com a ocupação de tempos livres. Vamos ter que criar soluções novas, a nível local também. No futuro vamos ter grandes desafios que vão pedir mais empenho por parte das instituições”, avisou o autarca, pedindo o esforço de todos de forma a combater a velha ideia de que “há sempre outra pessoa que resolve as coisas por nós”.
A este momento seguiram-se várias actuações por parte dos utentes das instituições presentes, com a dança a desempenhar papel principal. Assim, participaram o Instituto Maria da Paz Varzim, o Centro Social Monsenhor Pires Quesado – Matriz, o Centro Social Bonitos de Amorim, o MAPADI, o Centro Social e Paroquial de Aver-o-Mar, o Centro Social e Paroquial de Aguçadora, o Centro Social e Paroquial de Terroso, o Centro Social e Paroquial de Navais, o Instituto Madre Matilde, A Beneficente e a Casa Santa Maria da Estela.
 

 
Para além destas instituições, participaram também na exposição: Obra de Santa Zita; Centro Social da Paróquia de Beiriz; Bombeiros Voluntários da Póvoa de Varzim; Acção Missionária Aurora – AMA; Rotaract Club da Póvoa de Varzim; Cruz Vermelha Portuguesa / Núcleo da Póvoa de Varzim; Liga dos Amigos do Hospital; Centro Social de Bem-Estar de S. Pedro de Rates; Associação de Reformados Poveiros; Banco de Tempo – Agência da Basílica; Centro Hospitalar Póvoa de Varzim / Vila do Conde e Santa Casa da Misericórdia da Póvoa de Varzim.
A Exposição de Solidariedade contou também com as actuações da Banda Musical da Póvoa de Varzim e da Gestrintuna.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *