Matosinhos, Sociedade

Inauguração do Centro de Documentação Álvaro Siza – Matosinhos

O Ministro da Cultura, Dr. Pinto Ribeiro, o Presidente da Câmara de Matosinhos, Dr. Guilherme Pinto, e o Arquitecto Siza Vieira, inauguraram dia 25 de Junho, pelas 18h00, o Centro de Documentação Álvaro Siza, na Rua Roberto Ivens, 582, em Matosinhos.

A Casa da família de Álvaro Siza recebe, a partir de agora, o Centro de Documentação do arquitecto, para onde será transferido todo o seu espólio.
Recorde-se que o imóvel foi adquirido pela Câmara Municipal de Matosinhos, pelo valor de 275 mil euros e as obras de recuperação e adaptação foram supervisionadas pelo próprio Siza Vieira, com a colaboração do Arq. Carlos Castanheira.
A criação deste espaço sobre a obra e pessoa de Siza Vieira tem por objectivo a sistematização de toda a informação disponível, nos seus diferentes suportes (centenas de esquissos, maquetas e outra documentação do arquitecto) cuja procura pelos estudantes de arquitectura obrigou a redimensionar o centro de documentação.

De acordo com as palavras do próprio Presidente da Câmara, a inauguração do Centro de Documentação Álvaro Siza é um primeiro passo para a futura Casa da Arquitectura, que espera ver concluída no prazo de três anos.
A Casa da Arquitectura não será apenas um projecto municipal “porque só faz sentido se for de dimensão nacional” salientou Guilherme Pinto que afirmou, ainda, esperar pelos fundos do QREN desafiando o Governo a ver no apoio à construção da Casa da Arquitectura “um acto de cultura, mas também de pura estratégia económica”.

O Ministro da Cultura elogiou o poder autárquico, os arquitectos em geral e Álvaro Siza em particular – “um génio que cria com paixão e deixa a sua marca de beleza no mundo”. Realçou, também, a atribuição pelo Governo da Medalha de Mérito Cultural a Siza Vieira.

Por entre declarações de “emoção, nostalgia e alegria” por ver preservada a casa onde passou “tão bons momentos familiares” o arquitecto Álvaro Siza prometeu desenhar o projecto da Casa da Arquitectura o mais rapidamente possível.

A Casa da Arquitectura terá a sua autoria e está orçado em um milhão de euros. Será construído num terreno cedido pela APDL (Administração dos Portos de Douro e Leixões), junto à estação de Metro da Senhora da Hora.
O corpo do edifício, com uma área de 11 mil metros quadrados, incluirá biblioteca, sala de conferências, auditório, gabinetes de estudo e manutenção de espólio, área expositiva, arquivo, cafetaria e parque de estacionamento.

A Câmara de Matosinhos aproveitou o pretexto da inauguração do Centro de Documentação para, no mesmo dia, celebrar protocolos com 15 outros arquitectos mediante os quais estes se comprometem a doar os respectivos espólios à Casa da Arquitectura.
São eles os arquitectos Adalberto Dias, Agostinho Ricca, Alcino Soutinho, António Meneres, Eduardo Souto Moura, Gonçalo Byrne, Jorge Gigante e Família, José Gigante, João Álvaro Rocha, José Pulido Valente, Manuel A. Mateus e Francisco A. Mateus, Nuno Mateus e José Mateus e Paulo Mendes da Rocha.

A entidade responsável pela gestão do Centro de Documentação Álvaro Siza e da futura Fundação Casa da Arquitectura é a Associação Casa da Arquitectura (ACA), instituição sem fins lucrativos com sede em Matosinhos.

Entre as várias competências, a ACA terá que captar novos parceiros, promover e divulgar o espólio, organizar actividades lúdicas, culturais, turísticas e sociais.

A Câmara de Matosinhos, Ordem dos Arquitectos, Fundação de Serralves, Administração dos Portos do Douro e Leixões, Fundação Casa da Música, Universidade do Porto, Associação Empresarial de Portugal, Galp Energia e Unicer são os parceiros da ACA, juntamente com outras individualidades.

Para além do Presidente da Câmara, estiveram presentes nesta cerimónia de inauguração e de assinatura de protocolos outros membros do executivo, nomeadamente, o Vice-Presidente, Dr. Nuno Oliveira, o Vereador da Cultura, Fernando Rocha, o Vereador da Educação, Prof. Correia Pinto e a Vereadora do Ambiente, Dra. Joana Felicio.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *