Arouca, Economia, Espinho, Gondomar, Maia, Matosinhos, Oliveira de Azeméis, Porto, Póvoa de Varzim, S. João da Madeira, Santa Maria da Feira, Santo Tirso, Trofa, Vale de Cambra, Valongo, Vila do Conde, Vila Nova de Gaia

Tecnologia inovadora promete «revitalizar» sector do calçado com fortes ganhos de produtividade

Uma nova tecnologia de produção de calçado desenvolvida pelo Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores (INESC) Porto promete «revitalizar» a indústria portuguesa do sector através de consideráveis ganhos de produtividade.

Designada «One Step Production Process», a nova tecnologia consiste, segundo o INESC, num «sistema de produção revolucionário» que permitirá às fábricas portuguesas «produzir em simultâneo vários modelos de construção de calçado com uma única linha de montagem».

«Todas as fases produtivas, desde o corte à montagem, estão integradas num único sistema, o que se traduz no aumento da rapidez e variedade de produção e na capacidade de responder aos prazos de encomenda cada vez mais curtos das grandes multinacionais», destaca o INESC em comunicado.

No contexto actual de deslocalização das fábricas das principais marcas de calçado para países como China e Índia, o «One Step Production Process» assume-se como «uma resposta para voltar a fixar a produção de calçado em Portugal», dotando as fábricas da tecnologia necessária para manter no país a produção com elevado valor acrescentado, caracterizada por pequenas quantidades e grande variedade.

De acordo com o INESC Porto, a empresa portuguesa Kyaia, detentora da marca Fly London, foi a primeira a adoptar a tecnologia, tendo obtido «ganhos de produtividade superiores a 15 por cento ao dia e uma redução do tempo de produção para metade», porque a nova tecnologia permite usar a mesma linha de montagem e os mesmos recursos humanos para produzir em simultâneo diversos modelos de construção de calçado.

Desta forma, os trabalhadores de uma fábrica já não necessitam de estar dispostos pela sequência de produção de um determinado modelo de construção de sapatos, passando antes a ocupar um posto fixo, em que «é a tarefa a ir ter com eles».

Segundo o INESC, para além dos ganhos de produtividade conseguidos, eliminam-se ainda stocks e desperdícios e reduzem-se os custos de produção, o que aumenta a competitividade portuguesa no sector.

A tecnologia «One Step Production Process» nasceu do projecto europeu Cec-Made-Shoe, um investimento de 20 milhões de euros co-financiado em 50 por cento pela Comissão Europeia que em 2008 conquistou o prémio GAPI-CTCP Tecnológica 2008 do Centro Tecnológico do Calçado em Portugal pela sua componente inovadora.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *