Cultura, Matosinhos

LEV com vasto público dos «oito aos oitenta» – Matosinhos

“A cultura não é dispensável nos tempos de crise”. As palavras do Presidente da Câmara, Dr. Guilherme Pinto, proferidas na Sessão de abertura da 4ª edição do Literatura em Viagem, ficaram mais que comprovadas ao longo dos cincos dias do evento. Um sucesso em cada mesa redonda, em cada lançamento de livros, em cada exposição, em cada atelier.

De facto, um público vasto e heterogéneo marcou presença nas diferentes iniciativas que preencheram o programa deste ano daquele que é já um dos maiores eventos nacionais da literatura de viagem.

O último dia do LEV foi preenchido com actividades de comemoração do Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor, dedicadas ao público infantil e juvenil, que decorreram em paralelo na Biblioteca Municipal Florbela Espanca e na Biblioteca de S. Mamede de Infesta.

A sessão de encerramento decorreu no Salão Nobre dos Paços do Concelho com o lançamento do livro “A Maré” de José Tato, uma co-edição da Câmara Municipal de Matosinhos e da Edium Editores.

Ao todo, marcaram presença em Matosinhos cerca de 40 escritores representantes de 10 países. Refira-se que nesta quarta edição do LEV, foram lançados cerca de 20 livros, destacando-se o “O Velho Expresso da Patagónia”, de Paul Theroux; “Para Lá da Terra do Fogo”, de Eduardo Belgrano Rawson; “Os Suicidas do Fim do Mundo”, de Leila Guerriero; “Cabeça a Prémio”, de Marçal Aquino; “Cisne de África”, de Henrique Levy; “A Ofensa”, de Ricardo Menéndez Salmón,; “A Casa da Praia do Açúcar”, de Helene Cooper, “O Assassinato de Berta Linhares”, de Jacinto Rego de Almeida; “Ronda Filipina”, de César Magarreiro, e a obra para crianças “Livro com Cheiro a Canela”, de Alice Vieira.

Do LEV, nasceu a revista “Itinerâncias”. O número dois desta edição foi apresentado no primeiro dia do evento e conta com textos de António Cartaxo, Eduardo Belgrano Rawson, John Lantigua, José Manuel Fajardo, Karla Suárez, Daniel Mordzinski, António Sarabia, Christiane Tassis, Cristina Carvalho, Júlio Moreira, Leila Guerreiro e Marçal Aquino.

São,de facto muitas as razões para fazer deste evento organizado pela Câmara Municipal, sob a batuta do Vereador da Cultura, Fernando Rocha, uma aposta ganha na cultura. 2010 trará certamente muitas novidades e motivos para transformar novamente Matosinhos na capital da literatura em viagem.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *