Economia, S. João da Madeira, Santa Maria da Feira, Sociedade

Parques tecnológicos no Entre Douro e Vouga vão empregar 1.000 pessoas dentro de cinco anos

O Centro Empresarial e Tecnológico (CET) de S. João da Madeira e o futuro Feira Park, cujos trabalhos de construção iniciaram na passada semana, vão empregar cerca de 1.000 pessoas dentro de cinco anos, perspectiva o presidente da PortusPark – Rede de Parques de Ciência e Tecnologia e Incubadoras, Emídio Gomes.

«É um pouco especulativo dizer isto, mas estou convencido de que as duas estruturas vão empregar cerca de mil pessoas dentro de cinco anos», afirmou à EDV Informação Emídio Gomes.

O presidente da PortusPark considera «um bom investimento» a criação deste tipo de parques, sendo «iniciativas decisivas» para alterar o actual quadro económico.

«Estamos a investir para criar emprego, numa altura em que diariamente se perde emprego industrial. Estes projectos, rentáveis a prazo e rapidamente, são, de facto, geradores de emprego», frisou.

O CET foi inaugurado em Outubro de 2008 pelo Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva.

O edifício, da autoria do arquitecto portuense Filipe Oliveira Dias, já tem 22 empresas instaladas, ligadas a sectores como electrónica, informática ou multimédia.

Em torno deste equipamento – um investimento de quase sete milhões de euros, comparticipado por fundos comunitários – surgirá um total de dez edifícios.

No futuro, incluirá também um Centro de Inovação e Formação Empresarial, áreas para funcionamento de empresas e expansão do núcleo industrial.

O Feira Park (Parque de Ciência e Tecnologia de Santa Maria da Feira), cuja primeira pedra foi lançada na passada quinta-feira, representa um investimento de cerca de 1,5 milhões de euros e deverá está concluído até final do ano.

O Feira Park – localizado na zona envolvente do Europarque – está vocacionado para o desenvolvimento científico e tecnológico, com enfoque na atracção de investimento e no apoio às empresas em matéria de inovação e investigação.

«Trata-se de uma aposta efectuada no sentido correcto por parte das autarquias: investimento público indutor de criação de emprego», defendeu Emídio Gomes, sublinhando que é «um modelo consistente e testado no mundo inteiro».

«Estas estruturas serão decisivas no futuro. São das melhores “ferramentas” para vender a investimento estrangeiro», acrescentou.

O CET e o Feira Park integram a PortusPark, que resulta da Associação do Parque de Ciência e Tecnologia do Porto.

Um dos seus principais objectivos é contribuir para «o “up-grading” tecnológico e para a consequente competitividade da economia portuguesa, permitindo o crescimento consolidado do emprego qualificado» na região Norte.

Artigo AnteriorPróximo Artigo