Cultura, Matosinhos, Sociedade

Visita às futuras instalações do Museu Guilherme Thedim – Matosinhos

O Presidente da Câmara Municipal, Dr. Guilherme Pinto, visitou no dia 28 de Janeiro, as futuras instalações do «Museu Guilherme Thedim», no Largo da Viscondessa em S. C. Bispo.

Este Museu estará integrado no Centro Cívico de Santa Cruz Bispo, já que foi nesta freguesia que o «Santeiro» teve a sua oficina. O espólio do museu será constituído por materiais doados à autarquia pela família do santeiro, incluindo dezenas de esculturas em diferentes fases do processo de produção, instrumentos e correspondência.

Estiveram ainda presentes nesta visita o Vereador da Cultura, Fernando Rocha, a Vereadora da Protecção Civil e Ambiente, Dra. Joana Felício, o Vereador da Educação e da Qualificação Urbana, Prof. Correia Pinto, o Administrador da Matosinhos Sport, António Rijo e a Presidente da Junta de Freguesia de Santa Cruz do Bispo, Dra. Lurdes Queirós.

A génese deste projecto remonta a 2004, quando a autarquia organizou uma grande exposição sobre este famoso escultor – santeiro, autor, entre outras famosas esculturas, da imagem de Nossa Senhora de Fátima. Na sequência desta exposição e da doação que a família fez à autarquia do seu espólio, resultou a necessidade de se criar um espaço expositivo permanente desta colecção, tendo de imediato sido apontadas as instalações da antiga escola, bem no centro da freguesia, como o local ideal para albergar este Museu.

Um marco na sua carreira é a criação da imagem de Nossa Senhora de Fátima. Uma produção envolta em polémica, há poucos anos, quando se defendeu que na concepção da imagem a oficina de Thedim não teria respeitado os pormenores dos relatos dos videntes. Todavia, um conjunto de documentação, que será exposta neste museu, contrapõe esta tese, nomeadamente um «inquérito sobre as aparições» que Guilherme Thedim envia à vidente Lúcia.

Aliás o Mestre Thedim, foi das poucas pessoas autorizadas pela Igreja Católica a contactar directamente com a Irmã Lúcia, tendo-se deslocado repetidamente ao Convento de Coimbra, onde esta se encontrava, tendo, destes contactos resultado uma relação de amizade comprovada por uma troca de correspondência, igualmente patente, futuramente, no Museu.

Várias esculturas foram trabalhadas pelas mãos do santeiro Thedim e, mais tarde, espalhadas por vários países e continentes, designadamente, Rússia, Austrália, Estados Unidos e África

Guilherme Thedim morreu em Santa Cruz Bispo em 1985.

Artigo AnteriorPróximo Artigo