Arouca, Espinho, Gondomar, Maia, Matosinhos, Oliveira de Azeméis, Porto, Póvoa de Varzim, S. João da Madeira, Santa Maria da Feira, Santo Tirso, Sociedade, Trofa, Vale de Cambra, Valongo, Vila do Conde, Vila Nova de Gaia

Distrito de Aveiro com 21 equipas de intervenção permanente

A criação no distrito de Aveiro de equipas de intervenção permanente (EIP), para acorrer a acidentes e catástrofes, é hoje formalizada através de protocolos entre a Agência Nacional de Protecção Civil (ANPC) e 21 associações de bombeiros.

As equipas asseguram a prestação do socorro e emergência na área geográfica dos municípios e têm como principal missão o socorro às populações em caso de incêndios, inundações, desabamentos, naufrágios e em todos os acidentes ou catástrofes, colaborando nas actividades de protecção civil, no âmbito do exercício das funções especificas dos corpos de bombeiros.

A medida, que é implementada no âmbito da protecção civil municipal, abrange as associações de bombeiros de Aveiro, Águeda, Albergaria-a-Velha, Anadia, Castelo de Paiva, Estarreja, Ílhavo, Mealhada, Pampilhosa, Oliveira do Bairro, Oliveira de Azeméis, Fajões, Ovar, Esmoriz, Santa Maria da Feira, Arrifana, Lourosa, S. João da Madeira, Sever do Vouga e Vagos.

A criação das EIP, numa parceria que envolve as autarquias, a ANPC e associações humanitárias de bombeiros, «visa elevar o nível de prontidão e resposta em situações de socorro e emergência às populações dos concelhos com maior nível de risco, devendo constituir uma oportunidade de valorização do voluntariado».

As equipas asseguram a prestação do socorro e emergência na área geográfica dos municípios, podendo em situações excepcionais actuar fora dessa área, mediante solicitação do comando distrital e autorização do respectivo presidente da câmara.

A cerimónia de assinatura dos protocolos está prevista para as 18:00 no Governo Civil de Aveiro, com a presença do secretário de Estado da Protecção Civil, José Miguel Medeiros.

Com a adesão dos municípios do distrito de Aveiro que hoje vai ser formalizada, são já 110 os protocolos assinados, tendo o governo definido como meta a constituição de 200 equipas até ao fim de 2009.

Artigo AnteriorPróximo Artigo