Arouca, Espinho, Gondomar, Maia, Matosinhos, Oliveira de Azeméis, Porto, Póvoa de Varzim, S. João da Madeira, Santa Maria da Feira, Santo Tirso, Sociedade, Trofa, Vale de Cambra, Valongo, Vila do Conde, Vila Nova de Gaia

Norte perde no terceiro trimestre todo o emprego ganho nos nove meses anteriores

A região Norte perdeu no terceiro trimestre todo o emprego ganho nos nove meses anteriores, fixando a taxa de desemprego em 9,1 por cento, revela o relatório Norte Conjuntura.

De acordo com o relatório elaborado pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDRN), «no 3º trimestre de 2008, a taxa de desemprego na Região do Norte inverteu a tendência dos três trimestres precedentes e registou um agravamento, fixando-se em 9,1 por cento (mais nove décimas de ponto percentual do que no trimestre anterior)».

«No confronto com o trimestre homólogo de 2007, porém, a taxa de desemprego agora apurada representa uma descida de quatro décimas de ponto percentual», acrescenta a CCDRN.

Segundo o relatório, «o emprego na Região do Norte registou, no terceiro trimestre de 2008, uma queda de 0,2 por cento face ao trimestre homólogo do ano anterior (menos cerca de quatro mil indivíduos empregados)».

«Esta quebra surgiu após três trimestres consecutivos com crescimentos do emprego regional em termos homólogos e veio anular por completo estes ganhos conseguidos ao longo desse período», salienta a CCDRN, notando que «a dinâmica do emprego regional no terceiro trimestre foi muito semelhante à observada a nível nacional (-0,1%)».

A diminuição do emprego no Norte, em termos homólogos, «afectou exclusivamente o emprego masculino (menos cerca de 12 mil trabalhadores empregados do que há um ano), ao passo que o emprego feminino manteve uma variação positiva, mas em franca desaceleração (crescimento homólogo de 1,0% no 3º trimestre, que compara com 5,1% no trimestre precedente)».

Por sectores, o relatório destaca «a perda de postos de trabalho nas indústrias transformadoras (cerca de menos 40 mil indivíduos empregados do que há um ano) e, pela positiva, o crescimento do emprego no alojamento e restauração (+15 mil empregados), na construção (+10 mil) e no comércio (também +10 mil, aproximadamente)».

Em Outubro, eram já 28 os concelhos do Norte com crescimentos do desemprego registado superiores a cinco por cento, registando-se casos acima dos 10 por cento em municípios das sub-regiões Minho-Lima, Tâmega, Alto Trás-os-Montes, Douro e Cávado.

Artigo AnteriorPróximo Artigo