Cultura, Póvoa de Varzim

Cinquenta anos do Boletim Cultural comemorados com novo número – P. Varzim

“Chegou finalmente a hora.” Foram as palavras de abertura do discurso de Maria da Conceição Nogueira, Directora do Boletim Cultural da Póvoa de Varzim, referindo-se à apresentação em público do volume 42 desta publicação, realizada ontem no Salão Nobre da Câmara Municipal. A cerimónia de lançamento desta edição cinquentenária reuniu mais de uma centena de pessoas e contou com a participação de José Macedo Vieira, Presidente da Autarquia e José Carlos de Vasconcelos, “um poveiro de coração”.

Para Maria da Conceição Nogueira, esta edição do Boletim Cultural da Póvoa de Varzim faz uma “viagem audaciosa através dos seus anteriores volumes publicados desde 1958”. Este volume representa o “Momento Absoluto” a que se refere Fernando Pessoa: “Porque o presente é todo o passado e todo o futuro” e assim permanecerá através dos tempos, referiu a Directora, que tratou ainda de apresentar a estrutura da obra.
Assim e para assinalar o meio século de existência, o Boletim Cultural da Póvoa de Varzim engloba, entre outros textos, uma retrospectiva pelos números que o antecedem, fazendo também uma homenagem aos anteriores directores: Fernando Barbosa, Flávio Gonçalves e Monsenhor Manuel Amorim. Numa primeira parte são também lembrados alguns dos seus mais próximos colaboradores – Dr. Jorge Barbosa, Coronel Martins da Costa e sua irmã, Dr.ª Maria da Glória, e, como não podia deixar de ser, Manuel Lopes, o grande dinamizador desta publicação, desde longa data. A segunda parte deste volume, ainda intimamente ligada ao espírito comemorativo do seu cinquentenário, apresenta três artigos cujo objectivo é mostrar a vida do Póvoa de Varzim, isto é, o seu percurso desde o nascimento até aos seus cinquenta anos. Ainda com o mesmo sentido de homenagem, uma terceira parte constituída por artigos sobre diversas áreas – História, Literatura, História da Arte, História local, Urbanismo, Ciências da Natureza (Botânica) e Etnografia –, tendo em comum um objectivo: participar no momento festivo do Boletim, dentro da especialidade de cada um dos autores, tratando sempre uma temática relacionada com a Póvoa. A Directora do Boletim aproveitou ainda o momento para prestar homenagem a um dos autores que integra esta parte com um artigo póstumo, Joaquim Montezuma de Carvalho, “o seu nome ficará eternamente ligado à nossa biblioteca pois nela se encontra o seu espólio”, referiu com emoção. A última parte do Boletim designada de Vária destina-se ao registo de lançamentos de livros, exposições, palestras ou eventos comemorativos ocorridos ao longo do ano e que contribuíram de forma relevante para a construção da memória local, afirmou Maria da Conceição Nogueira, chamando, em seguida, a atenção para a capa e contracapa deste número que assinalam a comemoração dos 700 anos da outorga do Foral Dionisino à Póvoa de Varzim e uma homenagem ao fundador do Boletim, Fernando Barbosa, e aos 50 anos de existência dessa publicação, respectivamente. A Directora referiu-se ainda ao lançamento paralelo dos Sumários e Índices do Boletim Cultural Póvoa de Varzim, projecto acalentado e até esboçado por Manuel Lopes, um volume autónomo que apresenta o conteúdo publicado no Boletim durante os seus 50 anos de existência, devidamente seriado por ordem alfabética e ordenado em quatro secções: Títulos, Autores, Assuntos e Iconografia.
Maria da Conceição Nogueira terminou deixando o alerta “no próximo ano de 2009 comemora-se o centenário da morte do grande etnógrafo e arqueólogo poveiro Rocha Peixoto e esta tarefa ocupa já o nosso pensamento” e o agradecimento a todos os colaboradores com os quais “cumpriremos o legado do seu Fundador e dos Directores que lhe sucederam, não deixar morrer o passado, dar a conhecer o presente, tendo em vista o futuro.”
Na qualidade de sobrevivente, “porque sou o único colaborador do primeiro volume que ainda não faleceu”, José Carlos de Vasconcelos considerou que “o Boletim Cultural da Póvoa de Varzim tem um historial, um peso e obra já realizada que bem justificam que a autarquia da Póvoa mantenha o apoio para o voltar a publicar” e recordou a altura em que surgiu a publicação, “era uma época difícil, em que sentia muito a falta de apoio para a cultura”, tal como reflecte no artigo que integra o volume 42 do Boletim, “Um Boletim à altura da Póvoa”.
Macedo Vieira assinalou o lançamento do Boletim Cultural da Póvoa de Varzim como um “marco histórico para a cultura da Póvoa” enaltecendo o empenho de todos os directores e colaboradores da publicação e lembrando a preocupação constante da autarquia com as questões culturais.

Artigo AnteriorPróximo Artigo