Oliveira de Azeméis, Sociedade

Abertura da circular externa retira trânsito oriundo da zona industrial – Oliveira de Azeméis

A Câmara de Oliveira de Azeméis deu hoje mais um passo importante na melhoria da rede viária através da abertura da via circular externa à cidade no valor de 2,8 milhões de euros.
O investimento implicou a construção de uma passagem inferior à linha ferroviária do Vale do Vouga com a correspondente comparticipação de 125 mil euros da REFER, a entidade gestora da rede ferroviária nacional.
A inauguração levou ao terreno autarcas, técnicos e responsáveis da REFER onde foi visível a utilidade da obra para quem é obrigado a atravessar diariamente o centro urbano.
A rede exterior à cidade – que o presidente da autarquia considera «a mais importante obra do sector rodoviário executada até ao momento» – envolveu a construção de vários troços, alguns dos quais já se encontravam abertos ao tráfego.
«A construção da via externa foi pensada para libertar a cidade do tráfego desnecessário», afirmou Ápio Assunção depois de inaugurar o último de três troços deste eixo.
O autarca considera prioritário o investimento neste eixo pela importância que o mesmo terá, no futuro, na «organização rodoviária permitindo aos oliveirenses vantagens de circulação e de mobilidade incomparáveis com as que existiam».
A zona industrial, onde trabalha elevado número de pessoas, é uma das zonas mais beneficiadas com a construção das novas vias evitando que os trabalhadores sejam obrigados a circularem pelo centro da cidade aumentando as dificuldades de circulação.
Entre as actuais zonas mais críticas as melhorias far-se-ão sentir na zona de Santo António, ruas 25 de Abril e padre Joaquim Salgueiro e avenida Ernesto Pinto Basto.
«Esta obra estruturante conseguirá eliminar estes estrangulamentos permitindo uma rápida mas também segura circulação das pessoas», sustenta Ápio Assunção.
«As acessibilidades são consideradas por muitos como um dos principais factores que permitem medir a qualidade de vida das nossas populações», afirmou o autarca justificando os elevados investimentos.
«É nestas obras que o dinheiro é investido. Ignorá-lo não é sério nem justo», disse Ápio Assunção, anunciando que dos 2,8 milhões de euros 970 mil euros foram gastos na aquisição de terrenos.
«A construção das acessibilidades e de todas aquelas que contribuem para a melhoria da qualidade de vida estão directamente associadas ao desenvolvimento, tornando-nos claramente mais competitivos», realçou o presidente do município.
A execução do investimento exigiu um agradecimento do autarca aos técnicos responsáveis pela obra, aos proprietários dos terrenos, aos autarcas das freguesias de Oliveira de Azeméis e Santiago de Riba-Ul, à REFER e à CP.
Artigo AnteriorPróximo Artigo