Santo Tirso, Sociedade, Tecnologia

Inaugurado Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica de Santo Tirso

A Fundação de Santo Thyrso acaba de proceder à apresentação pública do Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica de Santo Tirso, cujas novas instalações ficam situadas na Rua Oliveira Salazar (antigas instalações da Fábrica do Teles), em Santo Tirso. 

O Centro de Incubação é uma iniciativa da Fundação de Santo Thyrso – entidade que tem como membros fundadores a Câmara Municipal de Santo Tirso (89% do capital) e as empresas Efimóveis e Facal – tem por objectivo apoiar empreendedores, proporcionando-lhes um ambiente favorável à concretização dos seus projectos empresariais e apoiando de forma sólida e constante o crescimento e projecção dessas iniciativas.  

Nesse sentido, a nova incubadora disponibilizará aos promotores dos projectos, espaços equipados para instalação das suas empresas, a partilha de espaços e serviços de utilização comum, apoio ao desenvolvimento e consolidação da ideia de negócio e a sua implementação, ligação a Instituições do Sistema Cientifico e Tecnológico e a entidades ligadas ao financiamento de projectos empresariais, nomeadamente Sociedades de Capital de Risco e Business Angels, além de aconselhamento sobre programas de incentivos no âmbito do QREN. 

Para Castro Fernandes, o presidente da Fundação Santo Thyrso e também presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso, chegou a altura de “apostar num novo modelo de desenvolvimento económico para o concelho” centrado “no rejuvenescimento do tecido empresarial e na qualificação do emprego”. Para o Autarca, o novo Centro de Incubação vai com certeza assumir “um papel fundamental ao apoiar a criação de empresas inovadoras e de base tecnológica”, com incorporação de mão de obra qualificada e ao promover “uma maior aproximação e maior cooperação entre o tecido económico e os Centros de Saber (universidades do Porto e do Minho).

A existência de uma Infra-estrutura (como a antiga Fábrica do Teles) de grande valor simbólico para a cidade de Santo Tirso e com grande potencial de reabilitação e valorização  e a aproximação da cidade à frente de rio (Projecto do Centro de Incubação e de Reabilitação da Fábrica do Teles inserido em candidatura à Parceria de Regeneração Urbana -PRU) constituíram, segundo Castro Fernandes, “autênticas oportunidades a não perder” para assim transformar uma pequena parte de uma antiga unidade fabril numa “zona de acolhimento empresarial [em vez de um shopping]” capaz de receber não só as empresas no pós incubação, como outras com interesse económico local e potenciadoras de sinergias com as empresas incubadas. 

A Fundação de Santo Thyrso arrancou com o património inicial de 280 mil euros e viu, entretanto, o seu Centro de Incubação merecer o apoio do Programa ON – Medida 5.1D – Novas Infra-estruturas Tecnológicas e da Formação. A Fundação já investiu no Centro um milhão e 755 mil euros em obras que contemplaram a reabilitação do equipamento e infra-estruturas técnicas, o mobiliário e equipamento informático para empresas e organização, e na promoção e divulgação do novo espaço. 

Neste momento o Centro de Incubação já tem uma equipa de gestão constituída e está pronto a receber os novos projectos e sabemos que já houve contactos para formalizar o arrendamento de vários espaços a outras tantas empresas. 

No futuro próximo, o Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica de Santo Tirso pretende inserir-se na Rede Portus Park que contempla os principais Parques de Ciência e Tecnologia e Incubadoras da Região Norte e funciona em estreita ligação com as principais Universidades e Politécnicos. Esta ligação às Universidades constitui importante fonte de projectos inovadores e de base tecnológica com potencial de incubação e promove a aproximação e efectiva colaboração entre estes Centros de Saber, as empresas incubadas e o tecido empresarial envolvente. A integração nesta rede permitirá acelerar a curva de aprendizagem da própria incubadora, assimilando as boas práticas e trocando experiências com outros membros da rede há mais tempo no terreno e possibilitará o acesso a redes internacionais e a participação em projectos nacionais e europeus de promoção da Inovação e do Empreendedorismo. 

Artigo AnteriorPróximo Artigo