Arouca, Espinho, Gondomar, Maia, Matosinhos, Oliveira de Azeméis, Porto, Póvoa de Varzim, S. João da Madeira, Santa Maria da Feira, Santo Tirso, Sociedade, Trofa, Vale de Cambra, Valongo, Vila do Conde, Vila Nova de Gaia

Nova campanha do Banco Alimentar começa hoje para ajudar mais de 245 mil carenciados

O Banco Alimentar Contra a Fome (BA) inicia hoje mais uma campanha de recolha de alimentos destinada a ajudar cerca de 245 mil pessoas carenciadas, sobretudo idosos e famílias de classe média que a crise transformou em “novos pobres”.

“Nos últimos meses há mais pessoas com necessidades e que se dirigem a instituições para pedir ajuda”, disse à Lusa a presidente do BA, Isabel Jonet, salientando que o preço dos alimentos aumentou este ano entre 30 e 40 por cento, tornando-se quase incomportável para muitas famílias.

De acordo com a responsável, os idosos são a população que mais recorre ao apoio do Banco Alimentar: com pensões reduzidas, muitos preferem cortar na alimentação para poder continuar a pagar os remédios, ficando apenas com uma refeição completa por dia.

Mas o grupo que mais está a aumentar é constituído pelos chamados “novos pobres”, famílias que nunca pensaram precisar de ajuda, mas que agora “vivem situações desesperadas por motivos como o sobreendividamento e o desemprego”.

Apesar da crise, os cerca de 20 mil voluntários que vão participar nesta campanha, que decorre até domingo em hipermercados de Norte a Sul do país, esperam superar este ano as mais de 19 mil toneladas recolhidas em 2007.

“Os portugueses têm sido sempre solidários e esperamos que voltem a sê-lo agora, apesar desta conjuntura. Não é preciso darem muito, mas é preciso serem muitos a dar”, apelou Isabel Jonet.

Segundo a presidente do BA, a instituição apoia actualmente cerca de 245 mil pessoas, mais 13 mil do que no ano passado, o que representa quase 2,5 por cento de toda a população portuguesa.

Para ajudar os mais carenciados, basta ir a um supermercado, aceitar um saco de plástico de um dos voluntários e colocar nele alimentos, em especial produtos não perecíveis, como leite, óleo, conservas, azeite, açúcar, farinha, bolachas e massas.

A campanha decorre em estabelecimentos comerciais das zonas de Lisboa, Porto, Coimbra, Évora e Beja, Aveiro, Abrantes, São Miguel, Setúbal, Cova da Beira, Leiria, Fátima, Oeste, Algarve, Portalegre e Braga.

Até 07 de Dezembro, decorre em simultâneo com a campanha tradicional a iniciativa “Ajuda Vale”, que permite que cada pessoa contribua para o Banco Alimentar através de cupões disponíveis em lojas, nos quais é identificado o produto doado e mencionado que se trata de uma entrega para os Bancos Alimentares Contra a Fome.

Estes vales são disponibilizados nas lojas das cadeias Dia/Minipreço, El Corte Inglês, Jumbo/Pão de Açúcar, Lidl, Modelo/Continente, Pingo Doce e Feira Nova.

Artigo AnteriorPróximo Artigo