Economia, Santa Maria da Feira

Futuro das PME em debate no Europarque – Sta. Maria da Feira

A segunda edição do Fórum Empreendedorismo – promovido pelo sistema de garantia mútua português – realiza-se esta quinta-feira no Europarque, em Santa Maria da Feira.

Sob o tema “Garantir o Futuro das PME”, o encontro deverá reunir mais de três centenas de participantes, entre empresários, representantes de diversos organismos do Estado e responsáveis da banca, de acordo com fonte da organização.

A iniciativa visa “debater e promover a capacidade de encetar novos projectos por parte das micro, pequenas e médias empresas (PME) nacionais”.

O debate será dinamizado a partir de três painéis, cada qual com um tema diferente: “É possível crescer e encontrar novos mercados?”, “Em plena crise é viável uma estratégia de sustentabilidade?” e “O QREN traz mesmo sete anos de novas oportunidades?”.

A sessão de abertura, prevista para as 10:30, será presidida pelo secretário de Estado Adjunto do Ministro da Economia, da Indústria e da Inovação, António Castro Guerra. Na sessão de encerramento, prevista para as 18:00, estarão presentes os secretários de Estado da Ciência, Tecnologia e do Ensino Superior e da Agricultura, Manuel Heitor e Luís Vieira, respectivamente, assim como os presidentes do IAPMEI, Luís Filipe Costa, e da SPGM e da Associação Europeia de Garantia Mútua, José Fernando Figueiredo.

Antecedendo os trabalhos do primeiro painel serão apresentados os resultados de um estudo, desenvolvido pela Universidade Católica Portuguesa, sobre o impacto da garantia mútua na economia.

Ao almoço, os participantes terão oportunidade de ouvir uma opinião sobre “onde encontrar optimismo na actual conjuntura”, “numa palestra que, em ambiente de descontracção, pretende lançar uma visão de oportunidades num mundo de ameaças”.

“O fórum, evento que pretende criar uma teia de conceitos e relações capazes de impulsionar as melhores ideias e gerar mais e melhores projectos, é a oportunidade para reafirmar junto do tecido empresarial português que o sistema de garantia mútua está disposto a apoiar as iniciativas que propiciem o desenvolvimento de mais e melhores empresas”, disse José Fernando Figueiredo.

O sistema de garantia mútua português apoiou, até ao momento, aproximadamente 4.500 empresas com cerca de 1.500 milhões de euros de garantias prestadas. Deste modo, foram viabilizados financiamentos superiores a 4.000 milhões de euros, que geraram e asseguraram a manutenção de cerca de 125 mil postos de trabalho.

Artigo AnteriorPróximo Artigo