Oliveira de Azeméis, Sociedade

Parque EXPO avança com estudo para a regeneração do centro urbano – Oliveira de Azeméis


A empresa “Parque Expo” vai ser a entidade responsável pela elaboração do estudo de enquadramento estratégico para a reabilitação urbana da cidade de Oliveira de Azeméis.

O acordo foi formalizado esta sexta-feira entre a autarquia e a entidade que terá a responsabilidade de traçar as principais linhas urbanísticas a adoptar.  
O contrato tem cinco meses de duração e estipula o envolvimento de técnicos da “Parque Expo” em áreas tão diversas como as do planeamento e gestão do território, arquitectura e urbanismo, geografia humana e socio-económica, investimento e financiamento comunitário.  
“Esta contratualização marca o início de uma nova etapa para a cidade”, afirmou Ápio Assunção, adiantando que o projecto “surge no âmbito do novo ciclo de investimentos correspondente ao período de programação do Quadro de Referência Estratégico Nacional onde a qualificação territorial assume um papel preponderante”.  
Para o autarca o estudo permitirá à autarquia “operacionalizar e assegurar a regeneração urbana e o desenvolvimento sustentável da cidade através da qualificação e integração dos seus diversos espaços, do fortalecimento e diferenciação do capital humano, institucional, cultural e económico e da qualificação e integração da cidade na região envolvente”. 
José Manuel Catarino, administrador da “Parque Expo”, garantiu que, à semelhança dos projectos já desenvolvidos, também o de Oliveira de Azeméis irá privilegiar os cidadãos.  
“Os nossos projectos privilegiam sempre a qualidade do espaço público para que possa ser vivido pelas pessoas”, disse o responsável da empresa, esclarecendo que “isso é feito com inovação e com preocupações de sustentabilidade social, económica e ambiental”.  
O estudo de enquadramento estratégico– no valor de 140 mil euros – pretende fornecer à autarquia “uma visão de futuro com a definição de um conceito global para o território”.  
Visa ainda contribuir para “um conceito de revitalização e desenvolvimento urbano” apresentando “princípios orientadores da intervenção e estudo de diversos contextos de dinamização urbana”.  
A missão da Parque Expo, que procurará envolver os agentes locais, públicos e privados na elaboração do documento estratégico passa pela “definição das zonas prioritárias de intervenção” e pela “análise das condições de viabilidade técnica e financeira” identificando o plano de acções e respectiva calendarização, os investimentos e as fontes de financiamento”.  
O acordo prevê ainda a “identificação de eventuais medidas específicas de gestão territorial”, em especial “a elaboração e/ou alteração de planos municipais de ordenamento do território”, além da “classificação da área de intervenção numa figura específica de reabilitação e da realização de operações de loteamento urbano e de obras de urbanização”.  
 

Artigo AnteriorPróximo Artigo