Cultura, Santo Tirso

VIII Simpósio Internacional de Escultura de Santo Tirso – inauguração

O Parque Urbano da Rabada foi o local escolhido pela Câmara Municipal de Santo Tirso para receber as quatro esculturas resultantes do VIII Simpósio Internacional de Escultura Contemporânea de Santo Tirso.  

Projectadas pelos escultores Wang Keping (China), Jean Paul Albinet (França), Michel Rovelas (Caraíbas Francesas) e Ângela Ferreira (Portugal), as novas obras de arte vão ser inauguradas no dia 15 de Novembro, às 10h30, neste bonito parque urbano municipal, há muito transformado no espaço público de eleição do concelho. 

Estas novas esculturas juntam-se, assim, às 39 obras de arte já implantadas no espaço público do Concelho de Santo Tirso, perfazendo um total de 43, e ajudando a enriquecer de forma significativa o já de si notável espólio – tanto em quantidade como em qualidade – do Museu Internacional de Escultura Contemporânea de Santo Tirso (MIEC-ST).  

Tendo como entidade promotora a Câmara Municipal de Santo Tirso – e mantendo como directores artísticos os comissários Alberto Carneiro (escultor e professor universitário português que se encarrega da escolha dos escultores portugueses) e Gérard Xuriguera (professor e crítico de arte catalão que trata da escolha dos escultores estrangeiros) – os Simpósios Internacionais de Escultura são eventos culturais de periodicidade bienal que permitem reunir em Santo Tirso artistas de todo o mundo, incluindo muitos dos mais prestigiados escultores portugueses.

Os escultores convidados, depois de uma minuciosa observação dos espaços públicos escolhidos pela Autarquia, deslocam-se a Santo Tirso onde permanecem cerca de dois meses a executar e a acompanhar a implantação das suas obras de arte. Dando continuidade ao projecto inicial, a Câmara Municipal de Santo Tirso pretende realizar ainda mais dois simpósios (num total de dez) para assim poder legar ao Município cerca de 60 obras de arte. 

Para além da realização dos simpósios, a Câmara Municipal de Santo Tirso leva a efeito um conjunto de outras actividades de carácter lúdico e pedagógico, permitindo o debate sobre o papel da arte pública, nomeadamente na requalificação de espaços públicos, em interligação com outros projectos com uma vertente socio-económica mais profunda.  
 

O MUSEU INTERNACIONAL DE ESCULTURA CONTEMPORÂNEA 

Para reunir as peças escultóricas resultantes dos simpósios, a Autarquia decidiu criar o Museu Internacional de Escultura Contemporânea de Santo Tirso (MIEC-ST). Enquanto instituição museológica municipal o MIEC tem cumprido o seu papel enquanto espaço de diálogo e confronto de várias correntes artísticas contemporâneas, de divulgação da arte contemporânea e de debate do papel da arte pública.  

O Museu funciona, enquanto espaço de reflexão do binómio cidade/arte, como pólo aglutinador de projectos de arte contemporânea, aproveitando a singularidade da sua organização e a relação com o espaço que ocupa, assumindo-se como um espaço plural e activo na dinamização das artes plásticas.  

O Museu Internacional de Escultura Contemporânea de Santo Tirso (MIEC-ST) reúne as 43 esculturas implantadas no perímetro urbano da cidade de Santo Tirso e organiza-se em cinco núcleos principais: Parque D. Maria II e jardins adjacentes; Praça do Município; Jardim dos Carvalhais; Praça Camilo Castelo Branco; e Parque Urbano da Rabada.

Artigo AnteriorPróximo Artigo