Arouca, Espinho, Gondomar, Maia, Matosinhos, Oliveira de Azeméis, Porto, Póvoa de Varzim, S. João da Madeira, Santa Maria da Feira, Santo Tirso, Sociedade, Trofa, Vale de Cambra, Valongo, Vila do Conde, Vila Nova de Gaia

Área ardida duplicou até 15 de Julho face a igual período de 2007

A área ardida em Portugal nos primeiros seis meses e meio deste ano duplicou face ao mesmo período de 2007, segundo dados provisórios da Direcção-Geral dos Recursos Florestais (DGRF).

Os dados, disponíveis na página da Internet da Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC), referem que entre 01 de Janeiro e 15 de Julho de 2008 arderam 4.685 hectares entre povoamentos (1.325) e matos (3.360), o que representa um aumento de 52 por cento face a período idêntico do ano passado, quando arderam 2.213 hectares.

Os números provisórios da DGRF mostram também que, até 15 de Julho, se registaram 4.981 ocorrências, 1.023 incêndios florestais e 3.958 fogachos, mais 1.364 do que em 2007.

No relatório, a Direcção-Geral dos Recursos Florestais destaca que “quando comparados os registos do corrente ano com os valores médios do decénio anterior (1998-2008), verifica-se que houve menos 4.099 ocorrências e arderam menos 19.301 hectares”.

Os maiores valores de área ardida, até 15 de Julho, verificam-se nos distritos de Braga (939 hectares) e Bragança (907), enquanto o maior número de incêndios florestais ocorreu em Vila Real e Braga (com 167 e 161 ocorrências, respectivamente).

A Autoridade Nacional de Protecção Civil faz hoje um ponto da situação da fase “Charlie”, período mais crítico de incêndios florestais, que decorre desde 01 de Julho e se prolonga até 30 de Setembro.

Nos primeiros 15 dias da fase “Charlie” registaram-se 757 ocorrências e arderam 412 hectares.

No período mais crítico estão mobilizados 9.803 elementos, 2.360 veículos e 59 meios aéreos, três dos quais da AFOCELCA, uma associação de empresas do sector papeleiro e de celulose.

O dispositivo de vigilância, detecção e combate aos incêndios conta ainda com 240 postos de vigia espalhados por todo o país e com 35 embarcações da Autoridade Marítima.

Artigo AnteriorPróximo Artigo