Cultura, Santa Maria da Feira, Sociedade

Funcionários da autarquia e dos CTT com trajes medievais – Sta. Maria da Feira

O atendimento público na autarquia e nos CTT de Santa Maria da Feira é assegurado durante a Viagem Medieval por funcionários vestidos com trajes medievais, anunciou fonte da organização do certame que hoje abre portas.

“Os serviços públicos tinham também de dar o exemplo e juntarem-se a uma recriação onde o rigor histórico é já uma imagem de marca”, afirmou o vereador Amadeu Albergaria, da Câmara de Santa Maria da Feira.

A 12ª edição da Viagem Medieval em Terra de Santa Maria, que decorre até 10 de Agosto, vai reproduzir uma época agitada de perseguição e guerra civil na década de vinte do século XIV.

“Fazia todo o sentido que os serviços que contactam directamente com o público “mergulhassem” na história e contribuíssem para a reprodução dos acontecimentos mais marcantes do reinado de D. Dinis”, disse Amadeu Albergaria.

Além dos funcionários da autarquia e dos CTT, o comércio local também aderiu – este ano em maior número – ao espírito da recriação histórica.

Entre os 30 estabelecimentos que aceitaram o desafio, contam-se cafés e restaurantes, casas de moda e instituições bancárias.

“Os comerciantes continuam a aceitar o desafio de adaptar a sua actividade à época recriada, decorando os estabelecimento e vestindo trajes doutros tempos”, referiu o autarca.

A loja de venda de trajes medievais – instalada na Casa do Moinho, junto às piscinas municipais – é outra iniciativa que visa “potenciar o envolvimento de residentes e visitantes no espírito do evento”, motivando-os a trajarem à época.

“Na loja há indumentárias para todas as idades, incluindo bebés e crianças, com vários preços e tamanhos”, acrescentou Amadeu Albergaria.

A Viagem Medieval – considerada uma das maiores do género na Europa – recebeu em 2007 uma média de 500 mil visitantes.

O certame foi distinguido no início do ano com uma menção honrosa no âmbito dos Prémios Turismo de Portugal, durante a Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL).

A organização – com um orçamento de cerca de 650 mil euros, 70 por cento dos quais gerados por receitas próprias – pertence à autarquia e à federação das colectividades do concelho, que transformaram já a iniciativa numa referência no panorama cultural da região.

A abertura oficial da edição 2008 realiza-se hoje às 17:00, com um percurso pelo recinto do evento, que terá início no castelo e termina junto à Casa do Moinho.

Artigo AnteriorPróximo Artigo