Cultura, Sociedade, Vila Nova de Gaia

Festival Marés Vivas arrancou quinta-feira – V. N. Gaia

Terminados os Festivais Super Bock Super Rock e Oeiras Alive, esta semana a onda dos festivais sobe até à Área Metropolitana do Porto.

Nos dias 17, 18 e 19 de Julho a Praia Fluvial do Areinho, em Vila Nova de Gaia, vai receber a 6.ª edição do Festival Marés Vivas e a organização espera ter uma afluência entre 15 a 20 mil espectadores diários.

Na edição deste ano a actuação das bandas será dividida por dois palcos, o “Marés Vivas”, palco principal e o ”Novos Portugueses – Rádio Comercial”, onde irão actuar bandas exclusivamente de portugal.

A segurança do Festival Marés Vivas estará a cargo de cerca de 150 elementos de segurança privada e voluntários e contará também com a presença de cerca de 60 Bombeiros e de vários elementos da Polícia Municipal, que irão assegurar a orientação do trânsito e a segurança no exterior do recinto. 

17 de Julho 

O arranque deste festival urbano terá lugar no palco “Novos Portugueses – Rádio Comercial”, pelas 19h30, com a actuação dos Klepht, onde certamente “Por uma Noite”, os 5 elementos da capital irão conquistar os festivaleiros nortenhos.

Às 20h30, será a vez dos Tara Perdida mostrarem o bom punk-rock que se faz em terras lusas e mostrar que o quinteto nestes últimos 11 anos de carreira não tem “Nada a Esconder”.  

Rumando ao palco principal, “Marés Vivas”, os suecos Shout Out Louds, irão inaugurar este espaço, pelas 22h00 com o seu estilo indie-pop e fazer com que o tema “Tonight I Have to Leave It”, popularizado por uma conhecida marca portuguesa de telecomunicações móveis, seja o auge da sua actuação.

Chegadas as 23h30, o estilo rock-gótico dos britânicos The Sisters of Mercy, fará as delícias principalmente dos trintões, que na década de 80 foram contemplados com temas impossíveis de não se mexer o pezinho, tais como “More” e “Dominion”.

O encerramento estará a cargo do ex-vocalista dos Bauhaus, Peter Murphy, artista já bem conhecido pelo público português, onde temas como “Cuts You Up”, “All Night Long”, “Strange Kind Of Love” e “The Scarlet Thing In You”, farão as delícias dos fãs, sempre de braços abertos para receber este inglês inconfundível.  

Terminados os concertos, a energia continua junto do palco secundário entre as 2h30 e as 6h00, com música para libertar o corpo e a mente, “Late Night Indústria”. Este dia contará com as festas “Synergy”, onde actuarão os DJ’s Ivo Teixeira, Luís Martins e António Jorge, e “Let There Be Rock”, com Frederico Themundo e João Carvalhosa. 

18 de Julho  

Mazgany, músico iraniano radicado em Portugal, assume-se português de coração, fará o arranque do 2.º dia do Marés Vivas. Pelas 19h00, no palco secundário irá contemplar os presentes com o conhecido tema “Bring Your Love”.

Segue-se a nova banda do Porto, os Classificados, que se inspira nos reveladores classificados dos jornais para compor as suas músicas. Pelas 20h00, a “Rosa” que se prepare, pois irá ter uma música inteiramente dedicada a si. 

No palco Marés Vivas, Slimmy, inicia pelas 21h00 a sua actuação com um rock combinado com os sons electrónicos e dançantes. Temas como “Showgirl” e “Beatsound Loverboy” prometem fazer o aquecimento desta noite mostrando assim a notoriedade deste nosso Português, alcançada em Inglaterra e nalguns meios norte-americanos.

Pelas 22h00, Tricky, ex-membro dos Massive Attack, irá mostrar o seu conceito de estilo trip-hop, dado que considera que o seu trabalho está situado entre a música alternativa e hip-hop. “Knowle West Boy, último álbum lançado no passado dia 7 no Reino Unido, poderá surpreender os presentes com a irreverência da música deste cantor britânico.

A partir das 23h30, os portugueses Da Weasel, prometem um espectáculo diferente do habitual, com temas que raramente são tocados em espectáculos ao vivo. A expectativa é grande, dado que este grupo nunca teve um alinhamento semelhante durante todos estes anos de carreira. Para os menos conhecedores destes “b-sides”, a festa estará garantida, dado que “a doninha” é a energia estonteante, dotada de capacidades musicais para fazer surgir uma onda de saltos pelo recinto do festival.

1h30, a hora do dia mais esperada pelos fiéis seguidores dos “The Prodigy”. Esta banda britânica é uma das mais projectadas a nível mundial, pois a sua música é uma mistura de electrónica, rap e os funky-beats fortíssimos, associados a uma presença em palco inconfundível. Temas como “Firestarter”, “Breath”, “Smack My Bitch Up” serão passagem obrigatória no palco Marés Vivas, proporcionado aos presentes mais um espectáculo único, que fará certamente aumentar o ritmo cardíaco. 

À semelhança do dia anterior, entre as 2h30 e as 6h00 o corpo não terá descanso. A festa “Elektro Disco”, junto do palco secundário, será conduzida pelo conhecido DJ Kitten, que fará com que muitos dos presentes percam umas calorias ganhas pela alimentação habitual de um festival. Phillips & Justamine, serão outros dois DJ’s, que irão mostrar as últimas tendências dos géneros New Rave/Wave, Electro/Electrónica, Techno e Minimal. 

19 de Julho 

Este último dia do festival Marés Vivas, vai iniciar com a actuação da nova banda “Per7ume”. À semelhança dos dias anteriores, por volta das 19:30, esta banda do Porto, irá apresentar o seu álbum de estreia (homónimo) e espera-se uma surpresa em palco quando a música “Intervalo” dado que a mesma conta com a participação especial de Rui Veloso. 

Os Lulla Bye, farão o encerramento oficial do palco “Novos Portugueses – Rádio Comercial”, por volta das 20h00. Este grupo portuense irá mostrar o bom pop/rock que se faz em terras lusas. “Gone (And We Dance)” e “Making Me Better”, serão dois temas obrigatórios que farão as delícias dos mais novos e também dos mais crescidos. 

Macy Gray, inaugura, pelas 22h00 o palco “Marés Vivas” neste último dia de festival. Dotada de uma voz inconfundível, esta diva do neo-soul norte-americano irá mostrar alguns temas do seu mais recente álbum “Big”, mas certamente contemplará o público presente, com os seu temas mais conhecidos “I Try”, “Sweet Baby” e “Still”.

Os Riders on the Storm, antigos The Doors, regressam mais uma vez a Portugal. Com apenas uma parte dos seus membros originais, este quintento irá fazer com que muitos dos presentes acreditem na ressurreição da mais conhecida banda do mundo. Temas como “Riders on the Storm”, “Light my Fire”, “The End” entre outros, irão fazer as delícias da geração dos anos 70.

James, é a banda que irá fazer o encerramento oficial do palco principal. Pelas 1h00, a banda de culto do chamado folk-pop, liderada por Tim Booth, fará com que este fecho seja carregado de alegria, gritos e pulos. “Sometimes”, “Sit Down”, “Seven” e “She’s a Star”, serão os temas que os verdadeiros fãs desta banda britânica quererão ouvir para gerar a boa onda que se quer presente nos festivais de verão. 

Para os mais resistentes, a festa “It’s Amazing”, junto do palco secundário, encerrará o festival Marés Vivas, com música de dança entre as 2h00 e as 6h00.

Despede-se assim a 6.ª edição deste festival urbano e espera-se a 7.ª para o próximo ano. 

 Liliana Soares

Artigo AnteriorPróximo Artigo