Cultura, Póvoa de Varzim, Sociedade

Tradição religiosa e bairrista marcaram festejos de São Pedro – P. Varzim

A tradição cumpriu-se e, mais um ano, São Pedro foi celebrado numa festa única que envolveu toda a cidade e visitantes. Animação, sardinhas e vinho não faltaram naquela que foi a noite mais longa do ano para os poveiros. Até ao amanhecer do dia 29, a folia manteve-se contagiando todos quantos se passeavam pelas várias artérias da cidade devidamente decoradas e adornadas de colorido, com destaque especial para os tronos onde figura o patrono da festa, São Pedro. A dedicação com que os seis bairros – Regufe, Belém, Mariadeira, Sul, Matriz e Norte – prepararam a festa foi notória nas actuações das rusgas nos palcos existentes no Bairro Norte, Matriz e Sul numa alegria partilhada pelas ruas onde durante a noite desfilaram.
 
Alegria essa transportada para o Estádio do Varzim onde, na noite de 29, actuaram num espectáculo que fez vibrar milhares de pessoas que orgulhosamente manifestavam o carinho e apoio ao seu bairro. “Olé, olé, olé sim sim, ora viva a nossa festa que é na Póvoa de Varzim/ Olé, olé, olé do mar, ora viva a nossa festa que é na Póvoa do mar” foi o hino de abertura à actuação da Rusga da Póvoa, que englobando dois pares de cada bairro, fez vingar o bairrismo e tradição dos poveiros. A melodia das cores fundiu-se com o brilho das vozes numa sonante e colorida folia que envolveu a multidão nesta Marcha de S. Pedro onde brilho e muita cor acompanharam as marchas de cada rusga que sucessivamente foram subindo ao palco para cantar, dançar e encantar ao ritmo de melodias dedicadas ao santo pescador. O espectáculo terminou em tons de vermelho e branco com a actuação da Rusga da Matriz que se despediu com um tema de Neca Vasconcelos, prestando homenagem a este poveiro que muito se dedicou à sua cidade e ao seu bairro.
O momento apoteótico da festa chegou pouco depois da meia-noite com o espectáculo piromusical que invadiu o céu poveiro iluminando toda a cidade. Do Largo do Alto de Martim Vaz foi lançado o incandescente fogo de artifício que se libertava ao ritmo do som da música que fez vibrar todos quantos fixamente olhavam para o céu fascinados pela luz e cor que abrilhantavam os festejos de São Pedro.
 
As solenidades religiosas das Festas de São Pedro cumpriram-se no dia 29 com a celebração da Missa de S. Pedro, às 11h00, na Igreja da Lapa e com a Majestosa Procissão de S. Pedro que, pelas 17h00 saiu da Igreja Matriz e, após percorrer diferentes ruas da cidade, recolheu na Igreja da Lapa. A procissão incorporou, como em anos anteriores, os três Santos Populares: S. Pedro, S.to António e S. João e nela estavam representadas as associações do concelho devidamente engalanadas, bem como os seis bairros. No Dia de São Pedro  houve ainda lugar para um concerto da Banda Musical da Póvoa de Varzim, pelas 15h00, na Praça do Almada, que prolongou a sua actuação integrando a Procissão.
 
Como já bem sendo habitual, marcaram presença na nossa cidade para celebrar São Pedro vários elementos das delegações das cidades com as quais a Póvoa de Varzim mantém relações de geminação, Montgeron, e amizade, Eschborn e Zabbar. É congratulador para o município e toda a comunidade poveira o envolvimento dos responsáveis políticos das cidades irmãs, nomeadamente Gérald Hérault (Presidente da Câmara Municipal de Montgeron) e Wilhelm Speckhardt (Presidente da Câmara Municipal de Eschborn)  de modo a manter permanentes as relações entre as suas comunidades e fortalecer os laços de amizade existentes. De recordar que, em 2006, foi renovado o acordo de geminação entre Montgeron e Póvoa de Varzim assinado em 1986, numa cerimónia de assinatura de protocolo que integrou o Programa da Festa de São Pedro.
As Festividades prolongam-se até domingo, 6 de Julho, com a emblemática prova de atletismo – XX Grande Prémio S. Pedro – e com a reconstituição do cortejo que desfilou pela primeira vez nas ruas da Póvoa em 1962 – Cortejo do Mar, entre outros.

Artigo AnteriorPróximo Artigo