Arouca, Espinho, Gondomar, Maia, Matosinhos, Oliveira de Azeméis, Porto, Póvoa de Varzim, S. João da Madeira, Santa Maria da Feira, Santo Tirso, Sociedade, Trofa, Vale de Cambra, Valongo, Vila do Conde, Vila Nova de Gaia

Área Metropolitana do Porto cresce para 16 concelhos

A Área Metropolitana do Porto (AMP) deverá crescer brevemente de 14 para 16 municípios, com a entrada de Vale de Cambra e Oliveira de Azeméis, disse hoje à agência Lusa fonte da AMP.

“Vale de Cambra e Oliveira de Azeméis já foram convidados a integrar a AMP, mas só deverão aderir depois da nova lei das áreas metropolitanas”, referiu o coordenador de projectos da AMP, Vítor Pereira.

A nova lei das áreas metropolitanas já foi discutida na especialidade na Assembleia da República e deverá ser brevemente aprovada em plenário, após o que será enviada para promulgação, explicou.

Logo que este processo esteja concluído, a AMP formalizará o seu segundo alargamento, com a entrada daqueles dois concelhos do distrito de Aveiro.

Vítor Pereira falava à margem da apresentação pública do Programa Territorial de Desenvolvimento 2007/2013 para as NUTS III do Grande Porto e Entre Douro e Vouga (disponível no site da AMP), que projecta já investimentos supramunicipais para os 16 concelhos, incluindo os que vão em breve aderir à AMP.

O programa define como “projectos estruturantes” para a AMP o TGV, Aeroporto Sá Carneiro, fecho da rede rodoviária, Metro do Porto, terminal de cruzeiros e porto de recreio.

O documento destaca também 13 “projectos de interesse metropolitano”, entre os quais a promoção turística da marca “Porto”, Centro Hospitalar do Porto, parques metropolitanos, cobertura a 100 por cento do abastecimento de água e saneamento, parques de ciência e tecnologia e parques empresariais estruturantes.

Educação, cultura e património, desporto, saúde, mobilidade, requalificação urbana, administração local, sustentabilidade energética e ambiental, desenvolvimento económico, redes sociais e riscos naturais e tecnológicos foram as áreas definidas pela AMP como prioritárias na candidatura a fundos do Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN).

Artigo AnteriorPróximo Artigo