Arouca, Economia, Espinho, Gondomar, Maia, Matosinhos, Oliveira de Azeméis, Porto, Póvoa de Varzim, S. João da Madeira, Santa Maria da Feira, Santo Tirso, Trofa, Vale de Cambra, Valongo, Vila do Conde, Vila Nova de Gaia

«Calçado português está a fazer aposta vencedora em Itália» – Giovanni Brignone

O encarregado de negócios da embaixada italiana em Lisboa, Giovanni Brignone, afirmou que o calçado português tem-se destacado no seu país.

“O calçado português está a fazer uma aposta vencedora na gama alta e tem demonstrado um bom comportamento em Itália”, disse em declarações à Agência Lusa.

Segundo Giovanni Brignone, os sapatos portugueses “têm actualmente, no mercado italiano, o segundo preço unitário mais elevado”.

O mesmo responsável sublinhou que Itália gostaria de atrair mais investimento português, em particular no sector financeiro e no turismo.

Giovanni Brignone considera que o Banco Espírito Santo (BES), que já tem um escritório de representação em Milão, “tal como outros grandes bancos portugueses”, poderia “desempenhar um papel importante no processo de concentração bancária”, actualmente em curso em Itália.

O BES manifestou já a intenção de conseguir uma “presença mais forte” no mercado italiano, dentro da sua estratégia de internacionalização.

Os maiores investidores portugueses em Itália foram, no último ano, o BES e a Sonae Sierra, na gestão de centros comerciais, mas o diplomata considera que “há espaço para mais”.

Os grandes grupos portugueses do sector hoteleiro, como o Pestana, Vila Galé ou Espírito Santo Turismo, são igualmente “bem vindos” a Itália, que, no último ano, perdeu a posição de terceiro maior destino turístico mundial, passando para o quinto lugar.

Itália continua a ser um dos grandes receptores mundiais de turistas, mas a actividade está “muito concentrada em Roma”, pelo que existe muita margem para desenvolvimento de projectos turísticos no resto do país, “especialmente no Sul e na reconversão de empreendimentos já existentes”.

Artigo AnteriorPróximo Artigo