Arouca, Economia, Espinho, Gondomar, Maia, Matosinhos, Oliveira de Azeméis, Porto, Póvoa de Varzim, S. João da Madeira, Santa Maria da Feira, Santo Tirso, Trofa, Vale de Cambra, Valongo, Vila do Conde, Vila Nova de Gaia

Governo apoio empresas com projectos de desenvolvimento tecnológico

O ministro da Economia, Manuel Pinho, lançou um repto às empresas com projectos de financiamento aprovado pela administração pública para que “arranquem o mais rápido possível”.

O ministro da Economia, Manuel Pinho, lançou um repto às empresas com projectos de financiamento aprovado pela administração pública para que “arranquem o mais rápido possível”.

Manuel Pinho falava hoje na Universidade de Aveiro, onde presidiu à assinatura de contratos com empresas para financiamento para 61 projectos de investigação e desenvolvimento tecnológico, através do Quadro de Referência Estratégica Nacional (QREN).

“As empresas devem arrancar o mais rápido possível, respondendo à rapidez da administração pública na aprovação, porque é bom para as empresas e para o país”, disse.

Sublinhou que a inovação e o desenvolvimento tecnológico são uma aposta com retorno.

“A administração pública fez um esforço para encurtar os prazos e deu resposta aos pedidos de incentivos em um terço do prazo habitual, em pouco mais de 60 dias. São compromissos irrevogáveis e assim que realizarem cinco por cento do investimento previsto será feita a libertação destes fundos, o que é bom para a tesouraria das empresas”, comunicou, dizendo que “o QREN para as empresas está a correr muito bem, em vésperas de terminar a primeira fase do concurso, a que correspondem apoios de 320 milhões de euros, para promover investimentos que ascendem a mais de 600 milhões de euros”.

No total foram hoje formalizados incentivos às empresas para projectos individuais de investigação e desenvolvimento tecnológico no montante global de quase 39 milhões de euros, para cerca de 78 milhões de euros de investimento elegível, correspondendo o maior investimento ao Norte, com 62 por cento do investimento e 42 por cento de projectos, e na maioria referente a projectos de pequenas e médias empresas (74 por cento).

Artigo AnteriorPróximo Artigo