Arouca, Espinho, Gondomar, Maia, Matosinhos, Oliveira de Azeméis, Porto, Póvoa de Varzim, S. João da Madeira, Santa Maria da Feira, Santo Tirso, Sociedade, Trofa, Vale de Cambra, Valongo, Vila do Conde, Vila Nova de Gaia

Região “não vai deixar de afirmar a sua identidade” na Área Metropolitana do Porto – Oliveira e Sousa

O agrupamento de municípios de Entre Douro e Vouga “não vai deixar de afirmar a sua identidade” estando integrado na Área Metropolitana do Porto, defendeu hoje, em Oliveira de Azeméis, Oliveira e Sousa, da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDRN).

“O Entre Douro e Vouga conseguirá afirmar a sua identidade sem prejuízo de beneficiar da vantagem de estar num meio mais vasto, como é a Área Metropolitana do Porto, para efeitos de ciência, tecnologia e inovação”, disse, em declarações à EDV Informação.

“Entendo que a região vai continuar a conseguir fazer um desenvolvimento sustentado que traga – conjuntamente com esses aspectos inovadores da área metropolitana – a valorização de recursos locais, em domínios como a paisagem, o turismo, a cultura local e também o dinamismo económico muito grande que aqui existe”, acrescentou o antigo coordenador da Acção Integrada de Base Territorial (AIBT) do Entre Douro e Vouga, desenvolvida entre 2000 e 2006.

Oliveira e Sousa falava à margem do seminário final do projecto “EDV em Rede”, dinamizado desde Outubro de 2006 pela Agência de Desenvolvimento Regional do Entre Douro e Vouga (ADREDV).

O programa, que congregou 70 formandos oriundos de instituições de Arouca, Oliveira de Azeméis, S. João da Madeira, Santa Maria da Feira e Vale de Cambra, pretendeu “suscitar uma cultura de trabalho em rede transversal a diferentes sectores”.

O “EDV em Rede” promoveu três cursos, uma pós-graduação, para além de outras actividades, como seminários, intercâmbios ou estágios internacionais. Segundo o coordenador da ADREDV, Elísio Mata, “os 50 projectos saídos desta iniciativa abrem um novo olhar sobre a região”.

“A ideia foi ajudar a criar uma rede de agentes locais em diferentes níveis, permitindo ao mesmo tempo capacitar técnicos e dirigentes com ligações a áreas como o empreendedorismo e a inovação, a cultura, o turismo ou a acção social”, acrescentou Elísio Mata.

Durante o seminário final, realizado esta quarta-feira na Estalagem S. Miguel, em Oliveira de Azeméis, estiveram em exposição os trabalhos realizados pelos formandos.

O projecto teve um custo na ordem dos 770 mil euros e foi financiado pelo Programa Operacional da Região do Norte, tendo sido apresentado em 2006 durante a primeira edição do Congresso Internacional do Entre Douro e Vouga.

Artigo AnteriorPróximo Artigo