Economia, Oliveira de Azeméis, Santa Maria da Feira

Oliveira de Azeméis e Feira investem 140 mil euros em iluminação eficiente

Dentro de poucos dias ficará concluída a intervenção que permitirá às autarquias de Oliveira de Azeméis e Santa Maria da Feira pouparem mais de 15 mil euros por ano em gastos com electricidade em edifícios municipais. O investimento em causa é de 140 mil euros e foi financiado na íntegra pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos, no âmbito do Plano de Promoção da Eficiência no Consumo de Energia Eléctrica.

Na origem do processo estiveram as candidaturas que ambas as autarquias apresentaram a um programa da EDP Distribuição, que vem executando as transformações necessárias nos 15 equipamentos municipais intervencionados, entre os quais os Paços do Concelho, o Mercado e o Cine-teatro Caracas, em Oliveira de Azeméis, e as piscinas municipais, a biblioteca e as Termas de S. Jorge, em Santa Maria da Feira.

A intervenção agora em curso contou também com o apoio da EDV Energia – Agência de Energia do Entre Douro e Vouga, que orientou as autarquias e a empresa municipal Feira Viva na elaboração das candidaturas à medida gerida pela EDP Distribuição. Pedro Santos, director da agência, considera que o resultado dessa parceria “é um excelente exemplo do papel que a EDV ENERGIA tem tido – e deve reforçar – no apoio à captação de financiamentos por parte dos municípios da região, tendo em vista promover medidas de eficiência energética e a integração de energias renováveis nas instalações e equipamentos geridos pelos municípios”.

A poupança ambicionada com as transformações em curso resultará sobretudo de duas operações: a substituição de balastros ferromagnéticos por balastros electrónicos, e a troca de luminárias com lâmpadas fluorescentes T8 por idêntico material na versão T5. Para Pedro Santos, essas e outras medidas deveriam ser generalizadas de forma a aumentarem a eficiência energética na região, o que considera prioritário tendo em conta que, na última década, “o consumo de electricidade no Entre Douro e Vouga aumentou 125 por cento”.

Ainda em 2008, o director da EDV Energia propõe-se estar atento “as novas oportunidades de financiamento para este tipo de intervenção, quer seja para os municípios, quer para as empresas industriais da região”.

Artigo AnteriorPróximo Artigo