Educação, Santa Maria da Feira

Em Santa Maria da Feira “O Principezinho” chega a seis mil crianças

Projecto “OEOP?” cruza leitura com artes de rua e culmina com espectáculo e parada que serão apresentados no Imaginarius Cerca de seis mil crianças do 1º Ciclo do Ensino Básico do concelho de Santa Maria da Feira estão envolvidas num projecto de promoção da leitura em torno do livro “O Principezinho”, de Antoine de Saint-Exupéry. Desenvolvido pela Biblioteca Municipal, Pelouro da Educação e Divisão Social da autarquia, o projecto “OEOP? – Onde está o Principezinho?” tem como grande objectivo cruzar a leitura, a escrita e o desenho com as artes do espectáculo, em particular com as artes de rua. Este projecto culminará com a apresentação de um espectáculo e de uma parada de rua no Imaginarius – Festival Internacional de Teatro de Rua, onde os actores serão, precisamente, leitores do livro. 

Para além do trabalho que está a ser desenvolvido pelos professores nas escolas, através do Pelouro da Educação da autarquia, o Núcleo Pedagógico da Biblioteca Municipal está a realizar, desde meados de Março, sessões diárias da Hora do Conto nos estabelecimentos de ensino e na Biblioteca, onde é apresentada a história “Onde está o Principezinho?”. No final, os grupos participantes são convidados a elaborar trabalhos colectivos – escrita ou desenho – sobre os aspectos mais marcantes da história, que serão compilados num livro gigante, que estará exposto no átrio da Biblioteca durante o Imaginarius. Para além das crianças, outros grupos e instituições aderiram a este projecto, como é o caso da Cerci Feira, Cerci Lamas, utentes da Agência Local em Prol do Emprego (ALPE) e idosos. As sessões para crianças, dinamizadas pela Biblioteca Municipal, terminam a 23 de Abril. A 10 de Maio, haverá uma sessão conjunta para pais e filhos, às 15h00.

 

Alunos do segundo ano da escola EB1 Nº2 de Santa Maria da Feira foram à Biblioteca no dia 17 de Abril. Atraídas pelo cenário – tapete, personagens e banda sonora – as crianças ouviram atentamente a história do Principezinho: um rapaz que vivia só num planeta pouco maior do que ele e que um dia partiu em viagem pelo universo, conhecendo o estranho mundo do adultos, numa série de encontros extraordinários que falam da avidez, da ambição ou do ridículo, mas também da amizade, do amor e da separação. No final, o entusiasmo era geral e a pequenada não resistiu a brincar com alguns dos elementos do cenário e personagens criadas para a história, como é o caso do Principezinho, da raposa, da serpente, da flor e dos planetas. A flor é, de resto, um elemento central nesta história, representando o amor. Por isso, as crianças que participaram neste projecto também foram desafiadas a plantar uma flor nos jardins da sua escola.

 

Paralelamente ao trabalho de promoção da leitura, o Pelouro da Educação e a Divisão Social da autarquia estão a coordenar a vertente das artes do espectáculo do projecto “OEOP?”. Na área musical, prosseguem os ensaios da orquestra de improvisação musical, orientados pelo músico sérvio Aleksander Caric, cujos instrumentos foram criados pelas crianças e colectividades de Fiães, a partir de materiais recicláveis. Relativamente à criação teatral do espectáculo, Miloud Oukili, criador da Fundatia Parada de Bucareste, prossegue uma residência artística com a comunidade escolar e com diversas instituições locais e jovens dos projectos da Divisão Social da autarquia.

 “O Principezinho” é uma obra de grande teor poético e filosófico. É o livro francês mais vendido no mundo e a terceira obra literária mais traduzida no planeta.

Artigo AnteriorPróximo Artigo