Arouca, Oliveira de Azeméis, S. João da Madeira, Santa Maria da Feira, Sociedade, Tecnologia, Vale de Cambra

“Net sobre Rodas” ilustra vantagens de “estratégias de nicho” em território rural

O balanço oficial da conferência da OCDE sobre “Prestação de serviços inovadores: ao encontro dos desafios das regiões rurais” deverá ainda esta semana ficar disponível no site desse organismo, em www.oecd.org. A perspectiva de Nicola Crosta, da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico, incluirá nesse balanço a referência ao projecto português “Net sobre Rodas”, cuja actividade constituiu um dos casos práticos mais comentados do evento, que reuniu em Colónia, a 3 e 4 de Abril, cerca de 250 decisores políticos dos 40 países que integram esse organismo.

Director do programa de desenvolvimento rural da OCDE, Nicola Crosta defendeu em Colónia que o “Net sobre Rodas” é um dos exemplos que demonstra que, em certas matérias, “não há necessidade de inventar a roda”. Ligado também à Divisão da Competitividade e Administração Regional, o mesmo responsável afirmou que o projecto do Entre Douro e Vouga é ilustrativo de que a opção por estratégias de nicho se revela por vezes mais eficaz do que a adopção de políticas mainstream.

Vítor Rolo, assessor do Instituto Financeiro para o Desenvolvimento Rural e presença frequente nos eventos da OCDE em representação do governo português, acredita que essas perspectivas deverão ser analisadas em mais detalhe na próxima edição da revista desse organismo. Anunciada para o segundo trimestre de 2008, a publicação dará destaque ao trabalho do Comité para a Política de Desenvolvimento Territorial da OCDE, de onde emanam os indicadores que servem de fundamentação às decisões políticas dos países que integram a organização.

Carlo Donati, da Direcção Geral do Sistema Informativo do Ministério da Saúde italiano, manifestou o seu interesse em replicar o projecto “Net sobre Rodas” no seu país de origem, embora em actividades de âmbito clínico, e Flemming Just, director do Instituto Dinamarquês de Investigação e Desenvolvimento Rural da Universidade do Sul da Dinamarca, também considera reproduzir na sua área de intervenção alguns dos conteúdos formativos do projecto português.

Outra experiência portuguesa que motivou interesse na conferência da OCDE foi a actividade desenvolvida pela ADREDV – Agência de Desenvolvimento Regional do Entre Douro e Vouga, cujo trabalho, segundo Cédric Leger, corresponde aos objectivos da missão “Cooperação Territorial Europeia e Internacional”, liderada pelo Conselho Regional de Limousin, na França.

Artigo AnteriorPróximo Artigo