Cultura, S. João da Madeira

“Theatrus@Ser” apresenta 11 peças de teatro em oito dias

Começa no dia 04 de Abril mais uma edição do Theatrus@Ser – Festival de Teatro de S. João da Madeira, que, até ao próximo dia 12, apresentará no auditório dos Paços da Cultura 11 peças de diferentes grupos teatrais amadores e escolares, numa organização da autarquia local e do projecto “Espaço Aberto” da Escola Secundária Serafim Leite.

Sempre com entrada gratuita, o festival é este ano dedicado à obra de Eça de Queirós – daí o lema “Vamos n’Eça?” – e arranca com a apresentação da peça «O Primeiro Dia da Posteridade», pelo Núcleo Amador de Teatro (NAT) de S. João da Madeira. A peça baseia-se no romance “Cem Anos Sem Uma Valsa”, de Manuel Córrego (pseudónimo de Manuel Pereira da Costa), e terá como protagonista o próprio escritor, que, em palco, assumirá o papel de Eça de Queirós.

No dia 5 é vez de “O voo da garça”, cuja interpretação cabe a 18 alunos do Grupo de Teatro da Escola Secundária Serafim Leite. Lurdes Gual assina o texto e a encenação da peça, que aborda os últimos dias da vida de Eça, em Paris.

“Asas de Gaivota” é a peça que se segue, a 6 de Abril. Interpretada pelo Grupo de Teatro Horus, um colectivo de amigos que se reuniram com o objectivo específico de a encenar, a obra resulta de um texto dramático que Ana Azevedo criou a partir de dois enredos distintos: “Frei Genebro”, de Eça, e «História sem título sobre duas gaivotas e a sua relação com o vento», de Jorge Barbosa.

No dia 7, o palco dos Paços da Cultura recebe “Viagem em Torno de Eça”, pelo grupo Lua Nova, da Escola Secundária João da Silva Correia, que integra 13 alunos do 8.º ao 12.º ano de escolaridade, sendo que a grande parte desses ainda não foi leccionada a obra queirosiana.

No dia seguinte, o Grupo Cultura Viva apresenta “Hom’Eça!”, que resulta de uma combinação entre excertos de Eça de Queirós e textos do sanjoanense Magalhães dos Santos. A interpretação cabe a diversos actores já conhecidos localmente pelos seus papéis em “Variedades” e “Ele é um Bom Companheiro”.

“A Aia do Africano”, pelo Grupo de Teatro do Centro de Ensino Integral, é o espectáculo do dia 9 de Abril, às 15:00. Abordando momentos da história portuguesa num registo musical, tem por base um texto escrito e encenado por Jaime Ribeiro, que é professor de Português e orienta as Oficinas de Teatro no Centro de Ensino Integral.

No mesmo dia mas às 21:30, os Paços da Cultura recebem “A Cantora Careca”, pelo TEPAS – Teatro Experimental Por Amadores Sanjoanenses. Em causa está uma farsa trágica escrita em 1954 por Eugene Ionesco, um dramaturgo francês de origem romena que aí explora os mecanismos da linguagem do casal.

A 10 de Abril o Theatrus@Ser também apresenta duas peças, ambas a partir das 21:30: “Sob o manto diáfano da fantasia”, protagonizado pelo TOJ – Teatro Oliveira Júnior, da escola secundária com o mesmo nome, e “Ora Eça!”, pelos actores do Grupo de Teatro da Universidade Sénior de S. João da Madeira.

“O Engenheiro Abranhos” é a personagem central da peça do dia 11, que o Grupo Arredonda a Saia, juntamente com amigos da Secundária Serafim Leite, leva à cena com base na adaptação que um aluno do 12.º ano fez a partir do romance “O Conde de Abranhos”.

No última dia do festival, a tarde é para “Reler Eça, Rever Eça” numa mesa redonda com Carlos Reis, ex-director da Biblioteca Nacional e actual reitor da Universidade Aberta, e a noite é dedicada a “Episódios da vida romântica, com que o grupo “Há cultura”, sob encenação de Norberto barroca, aborda as situações que deram conteúdo e intriga ao romance “Os Maias”.

Artigo AnteriorPróximo Artigo